terça-feira, 20 de novembro de 2018

RÁDIO. Novos carros elétricos dispensam a companhia dele

Um artigo interessantíssimo, o do Wall Street Journal republicado pela Folha de SP, hoje, mostra o caminho bifurcado dos carros elétricos e do rádio AM. Os novos veículos motores não se entendem e o velho companheiro da faixa de Amplitude Modulada vai ter desembarcar dele. 

A explicação é que os motores dos veículos elétricos geram frequências eletromagnéticas do mesmo comprimento de onda que os sinais do rádio AM. Cria ruídos e perda de sinal, por conta da interferência eletromagnética. 

Pelo andar da carruagem, ou melhor dos carros modernos, o velho companheiro de tantos e tantos guiadores recebe mais uma pá de cal no anunciado mundo novo, como os cinzeiros que já foram descartados dos veículos.  


The Wall Street Journal

Carros elétricos põem fim ao longo reinado da rádio AM


Os carros e a rádio AM estão juntos há muito tempo, mas a estrada que aguarda esses velhos companheiros de viagem se bifurcou. Os mesmos motores elétricos que propiciam velocidade superior a 240 km/h (quilômetros por hora) ao Tesla e permitem que o Chevy Bolt rode 380 quilômetros com apenas uma carga matam completamente a recepção de rádio AM. Em lugar de esportes, notícias, ou canções nostálgicas, os carros elétricos recebem apenas estática.

As montadoras de automóveis estão em uma corrida desabalada rumo a um futuro eletrificado, e rádios AM estão ficando pelo caminho, se unindo aos tape-decks, aos sistemas eight-track e aos ultrapassados cinzeiros.

Assinantes, lêem AQUI

Um comentário:

Anônimo disse...

Um suporte simples e um celular resolvem esse problema.