sábado, 23 de março de 2019

JORNAIS Manchete batida não é papel de jornal de papel

Venhamos e convenhamos: dar uma chamada de capa da prisão do Temer, no dia seguinte ao fato, mais de 12 horas no impresso, com manchete ultrapassada, não é mais papel de jornal de papel. É preciso ser criativo. Ou, como diz o Eduardo Tessler, do "Mídia Mundo", "basta racionar um pouco e a solução aparece". Foi o que fez, por exemplo, o Super Notícias, de Minas Gerais que - me perdoe o trocadilho - deu uma dentro. 

.

sexta-feira, 22 de março de 2019

RÁDIO. A explicação sobre o retorno da Ceará Rádio Clube

Temos novidades (e boas, diga-se de passagem) a respeito da retomada das atividades locais da pioneira Ceará Rádio Clube ao dial. O Alrino Araújo, que está à frente da coordenação da emissora, nos envia explicações a respeito das interpelações feitas por mim em postagem anterior. 


A questão de experimental ocorre por conta justamente que precisamos fazer uma revisão completa no transmissor, inclusive com trocas de peças e também estamos tendo instabilidade na energia do transmissor, mais a Enel já ficou de ir lá.
programação estará voltada para prestação de serviços e programas jornalísticos, incluindo a ênfase no jornalismo esportivo e também resgatando alguns nomes que fizeram história no rádio AM de fortaleza como Oswaldo Azim e Silvio Augusto.
Estamos com muito pé no chão para essa caminhada que sabemos ser árdua, complicada, as vezes até injusta, porém com um significado muito grande, afinal nossa responsabilidade é enorme, pois somos a pioneira. 
A Ceará Rádio Clube ainda pertence ao grupo dos Diários Associados, porém teve toda a sua programação arrendada ao empresário Márcio Aurélio.

JORNAIS. O Agora-SP faz 20 anos e ganha um novo desenho



O Agora, jornal popular do Grupo Folha, completa hoje 20 anos de vida. Líder de venda em bancas no estado de São Paulo desde 2004, atingiu no ano passado uma circulação média diária de cerca de 67 mil exemplares, segundo os dados do IVC (Instituto Verificador de Comunicação).
Neste ano de celebração, o jornal lança um novo site (www.agora.com.br) e prepara uma reformulação gráfica na edição impressa.
O periódico foi criado em março de 1999 para substituir a Folha da Tarde (1924-1999) e se baseia em cinco pilares: prestação de serviços, economia popular, fiscalização do poder público, cobertura esportiva e entretenimento.

quinta-feira, 21 de março de 2019

RÁDIO. A PRE-9 volta ao ar depois de 10 meses ausente

Que cara deve ter uma rádio com mais de 80 anos e que deseja se renovar no mercado atual? A antiga PRE-9 parece buscar se reinserir no mercado, ressuscitando sua alma pioneira



Há mais de 10 meses, o blog noticiou a situação de desgaste porque passava a emissora pioneira da radiofusão cearense, a Ceará Rádio Clube. A emissora chegou a ser retirada do ar, por conta de situação financeira. Soubemos hoje, via Jefferson Cézar que, a exemplo do personagem bíblico Lázaro, a emissora está sendo ressuscitada, na frequência 1.200 "em fase de experimental". 

Isso nos leva a uma interrogação: por que em fase de experimental? A emissora refez toda a sua aparelhagem? Renovou equipamentos ou os existentes, devido ao tempo em que esteve fora de uso, precisam de reajustes? E a quem está a competência da gestão da emissora, antiga afiliada dos Diários Associados?

A Pre-9 como ficou conhecida desde sua inauguração em 1947, sofreu abalos financeiros na receita, dispensou pessoal, cortou a equipe de esportes e chegou ao ponto de sair do ar por falta de pagamento da energia. 

Durante boa fase, a rádio tornou-se apenas e tão somente uma retransmissora da cabeça da antiga rede Diários Associados, desde setembro de 2016 quando deu as contas de todo o seu pessoal. 


Vamos tentar contato com seu antigo gerente para saber das novidades que, segundo Jefferson Cézar, estão por acontecer. 

DICA DE LEITURA. Escudos caprichados do "Verminosos"

O site "Verminosos por Futebol" continua sendo o mais incrível dos diários relativos ao futebol, mas sem ser unicamente um informativo sobre jogos. Criado pelo jornalista Rafael Luis Azevedo, o site sempre tem dados curiosos sobre temas que ligam ao esporte bretão. Um deles, por sinal o mais lido dos últimos dias, fala dos times amadores do país que abusaram da criatividade no batismo. 


CINEMA. As semelhanças entre filmes de desastres




Zero hora! Suspense espanhol ... Zero Hour ) é um filme de 1957 sobre um voo comercial em que os passageiros ficam doentes porque a comida está em más condições, o avião tem que pousar em um nevoeiro espesso. 

Há também um piloto chamado Ted Stryker , com um passado estranho como um aviador da Segunda Guerra Mundial e um relacionamento com uma das aeromoças. O filme não é muito conhecido, mas se a história lhe parece é porque é o mesmo que o hilariante e atemporal "Airport" (1980) de Abrahams e Zucker, um dos melhores filmes ruins que deram origem a toda uma saga de humor absurdo.
(Microsiervos é a fonte)

CHARGE. Momo e a Reforma da Previdência de Bennet


Da Folha de SP 

GRAFITE. A arte de Wybher sobre Trump x Boolsonaro

Após visita de Jair Bolsonaro a Donald Trump, o artista cearense Weybher Ferreira, de Maracanaú (Região Metropolitana de Fortaleza), fez uma representação do encontro. Na pintura, o pesselista é representado como um cachorro recebendo um osso de Trump com os dizeres "Vende-se o Brasil". O grafite foi publicado nessa terça-feira, 19, nas redes sociais do artista.



(O Povo)

quarta-feira, 20 de março de 2019

VÍDEO. "Para Brasil" chama para a greve contra a reforma


De autoria dos compositores Moreno Pescador, Zé Maravilha e Alberto Germano, o jinge "Para Brasil" é uma chamada para a greve geral contra a Reforma da Previdência e a Terceirização". O evento está programado para o dia 28 de abril em todo o País. 

RÁDIO. A volta de Sebastião Belmino ao rádio-esportivo

Uma boa notícia é a volta de Sebastião Belmino ao rádio. A informação foi divulgada pelo Allinson Marques em seu blog, adiantando que ele fechou com a equipe do Gomes Farias a sua ida para a Jovem Pan. A estreia já será agora em abril. 

Um comunicador nato como é Belmino, que tem uma forma de comunicação marcada por um estilo pessoal, o rádio jamais poderia prescindir. Ele esteve até recentemente no Grupo Verdes Mares, oportunizando sua presença na TV Diário. 

Que volte, também, o programa que ele fazia na telecisão, ligando assuntos de toda natureza. Um Belmino é uma graça (nos dois bons sentidos) que a tv cearense precisa. 

CINEMA. A molecagem de volta à telona com "Cine Holiúdy 2"

O diretor Halder Gomes sabia que Cine Holliúdy (2012) seria um marco em sua carreira. O sucesso do filme, no entanto, foi além de qualquer expectativa: levou quase meio milhão de brasileiros para o cinema em 14 semanas de exibição. A saga do apaixonado Francisgleydisson (Edmilson Filho), o projecionista de Pacatuba (CE), ganhou sequência, Cine Holliúdy 2: A Chibata Sideral, que estreia nesta quinta-feira (21/3). Esse é um trecho da matéria "Halder Gomes leva cearensidade de volta às telonas", publicada hoje no site Metrópoles. 

TV. Repórter transmite drama do Crato com emoção à vista


Sensibilidade é algo natural na alma humana. Conceituou-se dizer que repórter precisa ter sangue frio para certas situações a fim de transmitir o recado sem se impactar com o fato. Mentira, ninguém deve perder a sensibilidade, desde que não venha exagerar. Não se pode é ser piegas. O repórter Isaac Macedo, da Verdes Mares Cariri, soube nos transmitir isso, ao narrar de forma correta na edição de ontem do "Bom Dia, CE, uma situação de transtorno vivida por famílias ribeirinhas do Crato, que precisaram dormir ao relento por conta da tromba dágua que desabou sobre a cidade.

A certa altura do "ao vivo", ele precisou segurar a emoção e chegou a citar isso demonstrando o lado sensível de todo mundo diante de uma situação daquelas. A forte emotividade de seu relato transpôs a tela e atingiu, certamente, o telespectador em seu ponto máximo de sensibilidade revelando o fator emoção, imprescindível em quem conta uma história. 

CHARGE DO DIA. Quem é bom já nasce Clayton (O Povo)


terça-feira, 19 de março de 2019

WIKIPEDIA solicita ajuda a brasileiro para continuar no ar

Saco vazio não se mantém de pé. Por entender como fundamental ter sustento, a Wikipédia está, uma vez mais arregimentando os seus consultantes no Brasil a que possa colaborar para a manutenção da obra dessa enciclopédia. Para isso, eles arregimentam colaborações com média de cerca de R$ 25 reais. Quem já respondeu a esse apelo? 




CURIOSIDADE. Como o rádio ajudou a mudar o hábito

O rádio ajudou a mudar o hábito e o paladar das pessoas em relação a alguns produtos. A agência Bunge, detentora de marcas como as margarinas Delícia e Primor, além do óleo Salada, guarda lembranças disso.
Quando chegaram os óleos vegetais, no fim dos anos 20, as pessoas diziam que o sabor era horrível, comparado ao óleo de lamparina.
Fizeram pesquisas de maquinário para melhorar o paladar e utilizou-se o rádio para convidar o público a provar.
A mesma estratégia surgiu mais tarde, com o lançamento da margarina Delícia, em 1959. Os consumidores comparavam seu sabor a graxa de carroça. Mais uma vez então o rádio entrou como protagonista nesse processo de adaptação e convencimento dos consumidores.

domingo, 17 de março de 2019

WEBTV. Kaio Cézar, Seboso e Carlos Henrique no Boteco


MULHERES. Maria da Penha é a 4ª mais admirada do Brasil


Pesquisa realizada pelo Instituto Qualibest revela que a cearense Maria da Penha é a quarta mulher mais admirada do Brasil. No topo da lista está Fernanda Montenegro, claro. 
Em segundo lugar, com 7%, aparece a cantora Ivete Sangalo. Em terceiro vem a primeira-dama Michele Bolsonaro, 
A cearense, líder de movimentos de defesa dos direitos das mulheres Maria da Penha, cujo histórico de agressões físicas e psicológicas que sofreu durante 23 anos deu origem à Lei Maria da Penha.



EFEITO GUARDIÓ. Mais um se autoproclama secretário no CE



TELEVISÃO. Kaio Cézar vai processar diretor e emissora

Kaio Cézar, apresentador que invadiu os noticiários da TV após pedir demissão ao vivo durante o encerramento do Globo Esporte CE, está movendo um processo contra o ex-chefe, Paulo César Norões. O comunicador diz ter sofrido assédio moral. As informações são do Notícias da TV, do jornalista Daniel Castro.

Matéria do OverTube, que você ler a seguir
Em entrevista à publicação, Kaio afirma não ter se arrependido. “Tenho ainda mais certeza de que fiz a coisa certa, não me arrependo. É claro que, tendo uma família para sustentar, não vou dizer que eu queria perder o emprego e ficar desempregado, ninguém fala isso. Mas as circunstâncias me levaram a fazer isso. Eu estava numa situação tão dura que eu cheguei a quase cometer suicídio”, contou.
Ele revelou ainda detalhes do suposto assédio moral que recebeu.  “Eu estava em uma afiliada da Globo, estava em um local que, para muitos, era o topo da minha função de narrador esportivo aqui no Estado. Mas sabe quando você chega em um local e se decepciona? Não me arrependo. [Paulo César Norões] xingou a minha família, me xingou também, o cara me perseguia. Se você não tem respeito nem dignidade, pode ser onde for, não é legal”, revelou.E continuou. “Depois de o diretor ter me xingado, sabe o que ele falou da minha família? No meio da Redação, disse gratuitamente: ‘Esse é um doido, pega uma mulher que tem menino, vai lá e faz outro menino nela. É um doido’. Nem que eu fosse doido ele teria direito de falar isso. Nesse dia eu saí da Redação chorando, não falei nada com ele com medo de perder meu emprego. Simplesmente por isso”, confessa o narrador.
 A demissão 
Além de mover uma ação contra o ex-chefe por assédio moral, Kaio pretende processar a afiliada da Globo por acúmulo de função. “Eu fazia tudo lá. Editava, era repórter, era produtor, era tudo”.A demissão ao vivo ocorreu há um mês. Kaio Cézar surpreendeu a todos ao se demitir no encerramento do Globo Esporte. “O Globo Esporte fica por aqui e quero dizer que eu também fico, porque neste momento estou pedindo demissão do sistema Verdes Mares”, disse o apresentador. “Não abro mão do respeito nem da dignidade para estar em lugar nenhum. Um abraço”, completou. Assista ao vídeo:

MEMÓRIA ESPECIAL. O centenário do "rei" Nat King Cole


Em todos os meus 70 anos de vida, sempre busquei me aplicar a ouvir o canto de vozes belas. São muitas as que eu já ouvi ao longo do tempo. A de Nat King Cole, foi a que me levou em criança a imaginar que ele tinha algo estranho na garganta. Tinha, sim. Um instrumento fantástico; o aparelho vocal que encantou o mundo. E saber que, no início da carreira, para cantar pros ricos ele precisava entrar pela porta dos fundos dos locais, por puro racismo. Hoje, que faz cem anos que ele surgiu na Terra, homenageá-lo é algo que eu faço.

TV. Pautas "gossips" requentadas para a tarde de domingo

O programa do João Inácio Jr, na TV Diário, se notabiliza entre seu público, por apresentar pautas ligadas a temas de evidência. Nada que possa mudar o curso da História, como do caso do triângulo amoroso entre artistas da Globo.

José Loreto, Bruna Marquezine e Débora Nascimento, à semelhança de um bem urdido golpe publicitário, protagonizaram na semana retrasada um affair que culminou na separação e na troca de farpas. Há quem diga que para chamar atenção para uma novela com baixo Ibope. 

No programa do João, participantes foram convidados a opinar sobre quem tinha culpa no cartório. O assunto da enquete, com a profundidade de um pires, acabou por revelar o que o já viu nas colunas "gossips": esgotou-se.

CHARGE DO DIA. Ciro e Gleice, a guerra dos novos centauros



Charge de Barios - Metropolis

TELEVISÃO. Clássico dá audiência de fim de novela

Alguns registros ainda que divulgados com atraso, não podem passar batidos. O clássico Fortaleza e Ceará, domingo passado, no Castelão, com bola rolando entre 16h03 e 18h03, marcou 36 pontos de média com picos de 40 para a TV Verdes Mares. Audiência de final de novela.



Foi o que escreveu Flávio Ricco em sua coluna.

sábado, 16 de março de 2019

JORNALISMO. O impresso vive nas UTIs das bancas de jornais

As empresas jornalísticas do País continuam se virando para evitar que seu produto maior, o impresso, venha a ganhar um atestado de óbito preventivo.  A maioria já vive na UTI das bancas de jornais. A crise afastou das ruas os pequenos jornaleiros que a gente via costumeiramente pelas esquinas e sinais de trânsito. Hoje, não se vê jornal-papel nem mesmo nas salas de consultório médico como se fazia antigamente. Ficamos dependentes da edição digital. Com uma ressalva: desde que a pessoa se torne um frequentador assinante.


Quando pintou a crise, a primeira reação das empresas foi criar a edição digital. Com isso, prenunciava-se a saída para evitar o pior. Mas qual o quê? Aos poucos os leitores foram se transferindo do impresso para o vídeo e a contabilidade, registrava ao fim de cada dia, acentuada queda na venda e o número crescente de edições encalhadas. 


Buscou-se, então, a conquista de assinantes via edição digital, já que a área comercial começava a demonstrar algum tipo de reaçao lucrativa com a adoção dos "pop-ups". Mas até aí morreu Neves. Boas notícias não chegavam de jeito nenhum às redações, com número de pessoal sendo cortado e o investimento passando a ser centrado na mão de obra estagiária e terceirizada. Viu-se pouco retorno, afinal os internautas conseguiam ler as manchetes e até abrir 'pages' com tudo ali de mão beijada. Partiu-se para uma nova contra ofensiva. Deixar apenas a chamada com um subtítulo, eliminando a possibilidade de se acessar a íntegra do texto. E, incrível, até a página de trabalho do excelente Clayton, em O Povo, ficou reduzida ao título e aos marcadores. 






Estudantes que usavam o "print" para a compilação de algum texto a fim de atender a um trabalho escolar, descobrem que isso tem se tornado difícil. A maioria dos jornais, alegando princípios editorais expõem regras com o objetivo de proteger o investimento da empresa. Com isso, o jornal impresso que já foi protagonista nas ruas, acaba perdendo espaço para as consultas - dentro do que é possível - das edições digitais.  




















NETFLIX. Vem aumento da mensalidade para assinantes

Vem aumento no preço da assinatura da Netflix. Os assinantes preparem o bolso que, o novo custo, integra o pacote de novidades que vem anterior ao lançamento da série nacional "Coisa Mais Linda", com Maria Casadevall. 

Fique sabendo quanto vai custar agora para assistir as produções da Netflix. O mais barato passa de R$ 19,90 para R$ 21,90. O pacote "padrão", com acesso a duas telas e alta definição, vai de R$ 27,90 para R$ 32,90. E o acesso a quatro telas simultâneas com ultra alta definição salta de R$ 37,90 para R$ 45,90. 

sexta-feira, 15 de março de 2019

JORNAIS. Diário publica "porcaria" ao invés de portaria



Todo mundo já cometeu algum errinho de digitação que acabou por modificar totalmente o sentido de uma palavra ou frase. Mas e se esse deslize acontecesse no Diário Oficial da União? Aconteceu. Na edição desta quinta-feira (14/3), um trecho diz: “esta porcaria entra em vigor na data de sua publicação”.
A palavra correta, você deve imaginar, era portaria. Assinada por Sostenes Florentino da Silva, substituto do superintendente do Ibama no Estado da Bahia, a portaria nomeia alguns servidores para o cargo. O trecho que chama a atenção pelo deslize está no final, no artigo 2º. Será que foi o corretor?

quarta-feira, 13 de março de 2019

TEVÊ. Patrícia Nielsen e a notícia que a fez rir no CE-TV

A competente Patrícia Nielsen, que divide com Luis Esteves o "CE TV-Primeira Edição", na Verdes Mares de Fortaleza, não conseguiu segurar o riso ao ler uma notícia sobre apreensão de pássaros. Ao listar as aves apreendidas pela Polícia Ambiental, ela emperrou no nome "periquitos". Rapidinho o vídeo caiu nas redes sociais, via Fortaleza Ordinária, onde muitos internautas levantaram as mais diversas (e algumas absurdas) explicações para o frouxo de riso.