terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

JORNAIS. A queda vertiginosa dos impressos no ano passado

A circulação digital desses jornais poderia compensar em parte a perda de venda das edições impressas. Exemplos do exterior, como o New York Times, inspiram as publicações brasileiras. O Times passou de 2 milhões de assinantes digitais em 2017.
No Brasil, entretanto, o boom das assinaturas pagas de edições on-line dos jornais ainda não chegou com o vigor que se observa no mercado norte-americano.
Nos últimos 3 anos, de 2015 a 2017, os 11 jornais brasileiros registraram 1 aumento modesto na venda de assinaturas digitais. O saldo é positivo, mas de apenas 31.768 cópias.
Como se observa os dados de 2015 e de 2016, nota-se que houve pouco avanço de leitores digitais que pagam para ter acesso aos principais veículos jornalísticos. Clique nas imagens para ampliá-las:

AUDIÊNCIA DIGITAL É GRANDE

Apesar de estar encolhendo quando se trata leitores pagantes nas suas versões impressas e digitais, os principais veículos jornalísticos brasileiros são potências na internet.
O conteúdo aberto –todos têm uma parte cujo acesso é gratuito– atrai milhões de visitantes aos sites de FolhaGloboEstadão e outros.
Essa predominância dos veículos que praticam jornalismo profissional também pode ser vista no número de seguidores que cada 1 tem nas principais redes sociais.
Levantamento realizado na semana passada mostra o seguinte acervo de seguidores dos principais jornais diários no Facebook:
  • Folha: 5.954.066
  • Globo: 5.574.463
  • Super Notícia: 48.972
  • Estado: 3.711.606
  • Zero Hora: 2.572.606
  • Estado de Minas: 187.910
  • Correio Braziliense: 712.925
  • Valor Econômico: 982.096
  • Gazeta do Povo: 1.380.478
  • A Tarde: 203.976
  • O Povo: 1.311.636
Esse exército de seguidores não tem ajudado a turbinar os assinantes digitais. Todos os principais jornais têm planos especiais e promoções para atrair novos leitores.
Eis os valores mensais que cada veículo cobra (clique no nome dos veículos para ter acesso ao site de assinaturas):
assinatura da versão digital: R$ 29,90
assinatura combinada impressa e digital: R$ 104,90

assinatura da versão digital: R$ 29,90
assinatura combinada impressa e digital: R$ 99,90

assinatura da versão digital: R$ 42,90
assinatura combinada impressa e digital: R$ 79,90

assinatura da versão digital: R$ 10,90
assinatura combinada impressa e digital: RS$ 130,00

assinatura da versão digital: R$ 19,90
assinatura combinada impressa e digital: R$ 58,31

assinatura da versão digital: 19,90
assinatura combinada impressa e digital: R$ 67,90

Quem visita os sites de todos esses jornais listados acima notará uma idiossincrasia: o valor da assinatura apenas da versão impressa nunca é informado. Quem desejar descobrir precisa fazer uma ligação telefônica.
Trata-se de uma decisão deliberada dos veículos de matar aos poucos a plataforma impressa.
Outro fato que merece menção: quem deseja assinar qualquer jornal precisa realmente estar com muita vontade. Os sistemas são lentos e cheios de exigências que irritam o consumidor que gostaria de apenas clicar e dar o número do seu cartão de crédito.
No caso do jornal gaúcho Zero Hora o sistema é curioso. Para saber o valor do pacote de assinatura impressa e digital o consumidor é obrigado a deixar seu número de telefone para que o jornal ligue de volta. Foi assim que o Poder360pôde obter os valores descritos acima.

FONTE: Poder360

Nenhum comentário: