quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

JORNAIS. Jornalistas do Diário repudiam sua paralisação

Um dos jornais mais antigos da capital paulista, o Diário de S.Paulo, criado em 1884, desde o dia 22 de janeiro,  teve sua falência decretada pela justiça e desapareceu das bancas de jornais.

Além disso, a sede do jornal permanece fechada desde o dia posterior à decisão do juiz Marcelo Barbosa Sacramone, da 2ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais de São Paulo. O imbróglio é resultado de uma confusão societária, patrimonial e gerencial entre as empresas proprietárias do grupo: Editora Fontana, Editoria Minuano e Cereja Serviços de Mídia.

Os funcionários da redação e outros departamentos do jornal publicaram uma nota de repúdio à paralisação das atividades da empresa. De acordo com o comunicado, os interventores não seguiram a ordem judicial, que determinava a retomada da circulação do Diário de S.Paulo após cinco dias de prazo.



Nenhum comentário: