quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

HISTÓRIAS DO RÁDIO. Para começar a do Kit Rola na POVO

A radio O POVO AM, antes de unir-se à CBN, tinha uma citação na hora que homenageava um nome famoso da cidade. 
A cada hora fechada, a gente dizia: "10 horas na Fortaleza de J. Macedo" ou "tantas horas na Fortaleza de Adisia Sá". 
Certa manhã, abri a programação e disse a homenagem do dia, cujos nomes eram selecionados pela Fátima Abreu: "Sete horas na Fortaleza do doutor Kit Rola". 
O telefone tocou. Ouviu-se a voz irada de uma senhora idosa fora do ar reclamar ao telefonista.
"Vou deixar de ouvir vocês. Estão tão imorais qto aquele locutor da VM. Pra ganhar ouvinte, tão dando agora um kit de rola". Bateu o telefone sem nem ouvir a explicação de que se tratava de um renomado médico desta cidade.

Um comentário:

Jeferson Cesar disse...

Nonato,têm uma história que eu li em alguns blogs sobre rádio. Certa vez,a Saudosa Dona Yolanda Queiroz estava saindo da igreja e o motorista a esperava no carro.Ao entrar no carro que estava com o rádio Ligado,ela de repente começa a escutar o locutor dizer uma frase do tipo:O cara estava cheirando as partes íntimas da Menina.Indignada,Dona Yolanda mandou tirar daquela emissora,e o motorista respondeu:Mas Dona Yolanda,é a sua emissora de rádio.Depois,ela ligou para o seu filho Airton pedindo para demitir esse locutor que só falava palavras de baixo nível. Airton Respondeu:Mamãe,nào posso demitir ele,ele é a segunda maior audiència da Rádio. O Locutor em questão é João Inácio Júnior.