domingo, 29 de setembro de 2013

ESCRITOS MEUS. A síndrome de Caim

.
.
A violência é doença da alma
Vem de eras longíqüas;
estende-se a todos os ramos da sociedade humana. 
Herdamos de Caim, a síndrome.
Esquecemos de Abel, a bonomia. 
Asas partidas, anjos decaídos somos.
circunavegamos na carne vezes muitas
e, apesar de todo o conhecimento, 
desconhecemo-nos francamente. 
O socrático apelo do conhecer-se 
não tem sido levado a sério. Nunca.
E aprofundamos o abismo no abismo. 
Há ainda muito do selvagem de ontem,
habitando nossa alma, 
abismada em meio a tanta modernidade.
Um dia virá, contudo, que isso findará.
Quando o Eu adormecido de cada um
reclamar a convivência do 'Nós' em todos. 
Filhos do Legítimo, voltaremos ao lar
onde tudo começou e onde tudo recomeça. 
E os gritos do silêncio, sufocados pela morte, 
irão adquirir uma era nova, agigantando-nos 
diante da nossa inferioridade humana. 
Seremos anjos, sim. Em tempos outros...
Por enquanto, somos espíritos, 
vivenciando uma experiência terrena. 
Até que a (eterna) Vida nos separe.

Nenhum comentário: