sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

CINEMA. Os melhores e piores do ano 2010


O jornalista Fernando Oliveira, do Diário de SP, faz hoje um levantamento sobre os melhores do ano na telona. Destaca os sucessos de fora, "A Origem" e "A Rede Social". No Brasil, "Tropa de Elite 2" e a temática espírita.

"Não seria exagero dizer que nunca houve um ano tão bom para o cinema brasileiro quanto 2010. Se nos Estados Unidos a indústria se apegou ao 3D para não sofrer com a queda de bilheteria, por aqui houve uma multidão nas salas do país. Muito do êxito se deve à "Tropa de Elite 2", que derrubou um número-tabu: os 12,5 milhões de espectadores de "Dona Flor e Seus Dois Maridos", de Bruno Barreto, em 1976.

Mas foi o nascimento de um rentável filão que consolidou a rentabilidade: as produções espíritas "Chico Xavier" e "Nosso Lar". Isso não é sinônimo de qualidade - para comprovar, basta assistir "Aparecida - O Milagre", que tentou pegar carona nessa onda.

"Tropa de Elite 2" já bateu a casa dos 13 milhões de pagantes, "Chico Xavier" e "Nosso Lar" passaram dos 3 milhões. Dirigido por Wagner Assis, "Nosso Lar", aliás, se tornou o filme mais caro produzido pelo cinema brasileiro: R$ 20 milhões. E nunca se viu tantos documentários: "Dzi Croquettes", "Uma Noite em 67" e "Senna" conquistaram crítica e público.

No exterior, o ano foi de ressaca de "Avatar". Não se fez nada tão grandioso quanto o longa de James Cameron - maior bilheteria de todos os tempos -, mas se privilegiou o cinema mais autoral. A superprodução do diretor de "Titanic" viu suas chances no Oscar serem pulverizadas por "Guerra ao Terror", de Kathryn Bigelow - a grande saia justa, já que ela é ex-mulher do cineasta.

Consagrado por "Batman - O Cavaleiro das Trevas", Christopher Nolan arrebatou plateias e inovou em efeitos especiais com "A Origem". Da mesma forma, David Fincher transformou o Facebook numa empolgante história de traição. Não à toa a temporada de prêmios de 2011 terá os dois longas como presença garantida. Uma pena que, por conta do passado, polêmico Roman Polanski fique de fora das premiações com "O Escritor Fantasma". O DIÁRIO listou os melhores de 2010.

Nenhum comentário: