terça-feira, 6 de janeiro de 2015

TV. Repórter sofre violência durante reportagem no Piauí

Jornalista é agredido durante gravação de reportagem no Piauí
     
Ao ser escalado pela Rede Meio Norte para cobrir um tiroteio que resultou na morte de um rapaz e deixou uma moça e uma criança de 2 anos feridas, o repórter Pedro Borges se dirigiu na manhã desta terça-feira, 6, ao bairro Parque Alvorada, na zona norte de Teresina. Na tentativa de acompanhar o ocorrido de perto, o jornalista foi agredido durante a gravação de reportagem para a TV.


repórter-chute-piaui
Repórter Pedro Borges chamou agressor de "bandido" (Imagem: Reprodução/Rede Meio Norte)
O vídeo divulgado pela própria equipe da Rede Meio Norte no YouTube mostra o momento em que um homem de aproximadamente 20 anos (aparentemente) sai da casa e parte em direção ao jornalista que estava em frente à residência tentando realizar seu trabalho – gravar a passagem para uso da emissora. No material de sete segundos exposto na internet, é registrado o momento em que o rapaz acerta um chute nas costas do repórter.
Depois da agressão, Borges conversou com a equipe do Meionorte.com e não poupou críticas ao “bandido” que o golpeou. “Estamos vivendo um momento de ousadia dos jovens que não tem limite. Afinal, eu estava em um local onde estavam policiais do Ronda Cidadão, vizinhos e familiares, eram 11h da manhã, com plenas condições para fazer um trabalho com segurança, mas fui surpreendido pelo jovem que me agrediu. Esse jovem ousado, inoportuno, delinquente, um bandido”.
O posicionamento do jornalista não ficou restrito às palavras. Ao sair do local em que houve o tiroteio, ele se dirigiu ao 7° Distrito Policial da capital piauiense e registrou boletim de ocorrência contra a agressão que sofreu. Ao Meionorte.com, Borges ainda relatou que estava cobrindo o caso de forma normal, quando, em meio aos seus trabalhos, a informação de que o rapaz atingido durante o tiroteio morreu. “A situação ficou mais tensa”, reforça o site.

2 comentários:

Raimundo Moura disse...

No site não salvo se encontra o vídeo completo da reportagem e um texto criticando a atitude do repórter. http://www.naosalvo.com.br/reporter-urubu-entrevista-meu-pe-aqui-oh/

Anônimo disse...

Jornalistas sempre defendem os colegas de profissão e jamais admitem que muitos são extremamente inoportunos. Sob a alegação de "liberdade de imprensa" e "estão fazendo o seu trabalho", intrometem-se em assuntos familiares, não respeitam a dor alheia, exploram o sofrimento o quanto podem e ainda querem ser respeitados.