terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

JORNAIS. A capa de O Povo sobre a demissão de ministro




Estou tentando analisar aqui a cor preta da capa de O Povo, desta terça feira, referindo-se à demissão do ministro Bebiano. 

Terá sido para enlutar-se com a demissão dele? Ou para enterrá-lo de vez, já que a foto deixa a impressão de que ele está morto. 

Às vezes, usamos preto como sinal de luto. Estaria nossos companheiros lamentando o fato? Não acredito, pois imagino conhecer que, na redação da Aguanambi, há mais gente voltadas para luta do que desse tipo de luto.

Na verdade, vamos considerar outra opção: a crise continua. Então, o jornal quis dizer que "a coisa tá preta", o que, para alguns críticos mais acirrados, pode transparecer algo politicamente incorreto. 

Mas aí, mermão, é ser radical demais achando que tudo que se refira ao preto esteja ligado a preconceito, racismo. 

Qual é a sua opinião, leitor?


EMPREGO. Para quem busca vagas na área de comunicação







FONTE: Comunicação Cearense

RÁDIO. A força do veículo adaptando-se aos novos tempos



Quem faz rádio, quem ouve e, principalmente, quem programa essa mídia para anúncios publicitários, precisa ver o BOOK DE RÁDIO, na página do Kantar Ibope, sobre a força do veículo. É um trabalho de pesquisa de expressiva importância e que merece ser visto para que se tenha uma ideia do quanto o velho "sem fio" consegue se adaptar às mudanças.




NOMES. Fernando Sá, uma figura de fácil trato e harmonia

Luis Sérgio e Fernando Sá
Uma saudade no mundo da comunicação cearense: Fernando Sá. Ele faleceu segunda feira, depois de uma exemplar vida de repórter fotográfico. 

Dividi batente com ele, na redação de O Povo, onde ele revelou sua sensível percepção de fotógrafo, ilustrando matérias e, principalmente, sendo uma figura de fácil trato e harmonia. Fernando Sá deixa saudades.

O sepultamento do seu corpo se deu ontem no Cemitério São João Batista. 

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

TV. Em coluna nacional, esposa fala sobre decisão de Kaio



Para ler a matéria completa clique AQUI 

CHARGES. Destaque para a do Miguel do Jornal de PE


PERSONALIDADE. Roberto vestiu rosa "porque me garanto"



2019, definitivamente, não é um ano qualquer. Quem esperava ver Roberto Carlos desistir do azul e branco e botar uma camisa cor de rosa em público? Pois aconteceu. Ontem foi o dia. 

Durante a coletiva da turnê "Emoções em Alto Mar", que acontece pela 15a. vez, Roberto apareceu de camisa rosa e explicou: "eu apareci de rosa porque queria fugir um pouco do azul, já que eu já estava ficando marcado pelo azul. E visto porque me garanto", respondeu a um repórter do jornal O Dia. 

domingo, 17 de fevereiro de 2019

TV. Sindjorce lança nota sobre o caso Kaio Cézar

O Sindicato dos Jornalistas do Estado do Ceará lança nota de solidariedade ao jornalista Kaio Cézar 

O pedido de demissão ao vivo do jornalista Kaio Cézar, durante o encerramento do Globo Esporte, da TV Verdes Mares, afiliada da Globo no Ceará, neste

TEVÊ. Ana Paula Padrão se oferece para substituir Boechat

Pouco tempo depois da trágica morte de Ricardo Boechat, Ana Paula Padrão se ofereceu para apresentar o Jornal da Band até que a emissora tenha uma substituto para o jornalista. As informações são do colunista Daniel Castro, do Notícias da TV.

BLOG. O maior recorde de acessos em menos de 24 horas

A postagem da demissão do Kaio Cézar, no GENTE DE MÍDIA, além do impacto causado pela atitude tomada por ele, bateu todos os recordes de acesso, em toda a história do blog. 

Em menos de 24 horas, do sábado até aqui, tivemos nada mais nada menos que 3.637 visualizações de um só texto, representsando segundo o registro Blogger de Postagens, o mais recente recorde deste visualizações do GENTE DE MÍDIA.  


TV. Kaio Cézar dá explicações de sua saída da Verdes Mares

O narrador Kaio Cézar, que ontem pediu demissão da Verdes Mares, no ar, ao final do Globo Esporte, postou no Facebook as razões para o seu gesto. Até ao meio dia e meia deste domingo, haviam reagido com comentários 4 mil e 300 internautas, além de 702 compartilhamentos e 942 comentários. A seguir o texto: 

QUALIDADES E DEFEITOS
Pela repercussão do caso e número de mensagens que venho recebendo, ao passo que agradeço todo o apoio, esclareço aqui meu motivos para pedir demissão ao vivo do Sistema Verdes Mares.

Sobre qualidade e defeito, um dia me disseram que há cargos cujos profissionais, para ocupá-los, precisam ter os dois, especialmente o segundo. Uma espécie de código real e não oficial, situado nas camadas baixas da honra e envolvido por conceitos tanto arrogantes quanto ultrapassados: “diz-me teus defeitos que eu fabricarei tuas qualidades”. Talvez seja tarde, mas hoje digo sob absoluta convicção que o que ouvi não era um pensamento vão, mas realidade comum e incontestável.Em quase onze anos de empresa – cheguei aos 17 de idade – cometi, lógico, muitos erros. Todos, no entanto, no âmbito profissional, ainda assim julgo ter passado bem, sem qualquer falta grave. Nunca um erro de ordem ética, no sentido de diminuir algum colega enquanto pessoa, por exemplo, ou assediá-lo moralmente. É só ir atrás e você vai ver que mantive minha linha, com retidão. Jamais ofendi a honra pessoal muito menos a família de alguém no meio de uma redação, outro exemplo.

Fizeram isso comigo. E fizeram mais.
 Darei apenas um nome, uma vez que os outros, de cargos menos elevados, cometeram falhas, acredito, mais por ter a proteção dele do que por maldade, simplesmente. E quanto a esses outros, já tratei dos problemas pessoalmente, então caso resolvido. Mas, quanto ao hoje diretor Paulo César Norões, eu preciso não me calar e encarar qualquer consequência e até retaliação. Me apunhalou por muito tempo.
Arrogante, ele nunca soube lidar com quem pensa diferente, principalmente os que julga inferiores. E eu, por ter raízes, convicções – políticas e esportivas – e personalidade extremamente opostas nunca fui respeitosamente aceito por ele. Lembro-me que um dia, no meio de uma reunião do esporte, quando era nosso editor-chefe, mandou-me “tomar no cú” por ter discordado dele. Curioso é que pouco antes, quando eu ainda estava na na TV Diário, outra emissora do SVM, ele havia tentado me barrar da cobertura da Copa das Confederações sob a alegação de que eu era “tímido demais”, nas palavras do diretor Roberto Moreira, diretor da TV Diário.
Roberto Moreira, aliás, apesar de amigo pessoal do PC, sempre foi muito correto comigo. Foi ele quem me abriu as portas dentro da empresa, me defendeu e me deu grandes oportunidades. Até quando tomou alguma atitude que me prejudicasse, procurou agir com decência e lealdade. Devo a ele gratidão e respeito. Espero que seja sempre assim.
Pois bem, depois da Copa das Confederações, com a ida de Antero Neto para o Rio de Janeiro, surgiu uma vaga na TV Verdes Mares. O próprio Roberto Moreira me chamou e, por três vezes, insistiu para que eu fosse conversar com PC a fim de ganhar uma oportunidade na principal emissora do estado – a esta hora PC já tinha achado um substituto em Fábio Pizzato, que passou a narrar os jogos. Eu relutei porque imaginava que ele, Roberto, estivesse me testando. Só após o quarto pedido tomei coragem de me dirigir ao PC, que disse não ter vaga. Ocorre que, quando Roberto soube da resposta, imediatamente entrou em contato com o diretor da TV Verdes Mares, Marcos Gomide e, poucos dias depois, eu estava ocupando a tal da vaga, já existente.
O tempo foi passando e os movimentos estranhos continuaram. Outra vez foi no Bom Dia Ceará, onde eu era o substituto do Marcos Montenegro. Quando estavam preparando a saída do Marcos para o CETV2, veio a informação de que outro profissional, então estagiário, ocuparia o lugar. Curioso é que, poucos meses antes, a Lianne Quezado, editora-chefe do Bom dia e uma das pessoas mais profissionais e corretas que conheço, tinha me falado sobre muitos elogios feitos à minha desenvoltura dentro do telejornal por uma equipe da Globo, que comumente vai às afiliadas avaliar o padrão jornalístico. Não fiquei calado e disse diretamente ao PC que aquela atitude era uma “sacanagem” comigo. Foi aí que o diretor Marcos Gomide interferiu e me confirmou no bloco de esportes do Bom Dia, dizendo, segundo me afirmou Fábio Pizzato, a seguinte frase: “Kaio é um talento que a gente não está aproveitando”.
Mesmo pouco depois saindo da editoria de esportes para ser um dos diretores do SVM, PC continuou interferindo nos assuntos do esporte dentro do grupo. E um dos projetos desenvolvidos logo após ele assumir o cargo que era do pai, Edilmar Norões - saudoso e de respeitosa memória - foi o projeto dos “Craques da Verdinha”, sob coordenação de Antero Neto e sob o rótulo da renovação. Para minha surpresa, mesmo tendo inclusive entregado um projeto – até os jingles da equipe são com minha letra, umas em parceria com Antero Neto - do qual muitas ideias foram aproveitadas e já sendo narrador da Rádio Verdes Mares desde 2008, fiquei inicialmente de fora. Só entrei depois da desistência de Bosco Farias, ainda assim, só para constar, com um dos menores, se não o menor salário da equipe. E tudo isso eu vinha denunciando.
Ainda em relação à rádio, num evento mais recente, durante a Copa da Rússia, Antero Neto, meu amigo e conterrâneo, teve uma atitude digna. Vendo que eu não estava narrando nenhum jogo do Brasil, me sugeriu narrar o último da primeira fase, único até então garantido de acontecer na capital russa, onde eu estava baseado. Para minha surpresa, ato contínuo do Antero: “Mas o PC não deixa. Embora eu não concorde, ele disse para eu narrar todos os jogos do Brasil e que eu sou o sucessor do Gomes Farias.” Daí eu indaguei, só por indignação: por que narramos juntos os jogos do Brasil na Copa América de 2011? E porque ele vem me elogiando tanto no grupo em meio a tantos diretores? Dissimulação? Fiquei sem resposta e continuei, com a força da gratidão, narrando os outros jogos.
Tudo isso foi ocorrendo em combinação com outros acontecimentos, que não posso reputá-los todos ao PC Norões, mas, por tudo isso que já relatei, seria natural pelo menos desconfiar que alguns tenham interferência dele.
Para me ater apenas ao que se refere à narração esportiva, inicialmente me tiraram dos jogos do Premiere Futebol Clube, onde narrei, se não me falha a memória, quatro jogos em três anos e depois de muita briga, mesmo sendo o titular da afiliada da Globo no Ceará. Depois, me tiraram da rádio, alegando, pasmem, que minha saída era para que eu pudesse me dedicar aos jogos do PFC, sendo que depois voltei pro rádio para tapar buracos e sem o salário que eu lá recebia. Por último, fui perdendo espaço também nas transmissões da TV Verdes Mares. O motivo? Tive que folgar obrigatoriamente dois domingos no mês. Apesar de absurdo do ponto de vista da rotina jornalística - muito mais do esporte, que trabalha essencialmente às quartas e domingos - tudo bem. Se é uma norma da empresa em acordo com o Ministério do Trabalho, o jeito é acatar. Mas, por que há contratos diferentes que não exigem isso? Mais uma vez fiquei sem resposta.
Por último, deixei para relatar o mais grave, que foge sobremaneira da esfera profissional. Em meio a tantos fatos que configuram perseguição, certa vez PC Norões se dirigiu à mim e proferiu ofensas à minha família que não as repito aqui porque tenho dois filhos, entre eles uma enteada, e poderia expor pessoas que não tem nada a ver com a história. Só adianto uma coisa, não tem nada a ver com traição da minha mulher, como inventaram de ontem pra hoje.E foi assim que pouco a pouco me escantearam, sem qualquer pudor ou respeito por mim, um profissional que se dedica há tanto tempo à mesma empresa, e que foi avaliado como sendo de “bom caráter” ao ser promovido de uma emissora a outra dentro do SVM.Sobre as imagens que ilustram esta postagem, são números do futebol da TV Verdes Mares, especialmente dos primeiros meses do ano, quando entramos no ar com maior frequência. Considerando todas as transmissões das afiliadas da Globo no Brasil, a Verdes Mares foi a que mais cresceu em 2018. E isso foi mostrado num evento da própria Globo, em São Paulo. Motivo de orgulho!
Agora vejam e reparem nos meus números e tirem suas conclusões. Não quero dizer, com isso, que sou melhor ou pior - não é essa minha indignação. Quero apenas constatar que as pessoas aprovaram meu trabalho, que foi construído ao longo de, ao todo, 15 temporadas da minha vida. Hoje sou um narrador de rádio e TV que, aos 28 anos, tem 3 Copas do Mundo, 2 Copas América e 1 Copa das Confederações, currículo raríssimo no Brasil para alguém da minha idade.
Recentemente, diante de todos esses problemas, cheguei a pedir minhas contas ao Marcos Gomide, diretor da TV Verdes Mares. Ele me pediu paciência e a única coisa que aconteceu foi aumentar o salário por um lado e tirar as horas extras por outro. Ou seja, ficou na mesma.
Fora dos jogos do PFC, passei a não receber mais cachês – que, por sinal, já avisaram que não serão mais pagos aos profissionais que trabalharem neste ano; fora da rádio, meu salário foi reduzido em quase 3 mil reais, sem falar no corte das horas extras. Quanto ao desgaste emocional, as pressões me deixaram no chão. Na Rússia, encarei uma crise emocional tão dura que, por Deus e pelas pessoas que amo, reconsiderei fazer o pior.
Apesar de tudo, preciso agradecer. Sou profundamente grato ao Sistema Verdes Mares pelas oportunidades que tive, embora nos últimos anos, o diretor citado tenha insistido em me tirar do páreo. Aproveito e pontuo aqui minha gratidão à outra pessoa, o mestre Tom Barros, que sempre esteve à minha disposição. Da mesma forma, faço saudações a todos os colegas do SVM e de outras empresas que, de alguma forma tenham me ajudado e que podem estar passando por algo parecido. A Mirela Forte, minha esposa, por exemplo, foi demitida um mês depois de voltar de licença maternidade, recebendo a notícia de que voltaria em breve. Alguns meses depois, foi decidido que não iriam mais contratar cônjuges de funcionários.
Disto isso, diante do paradoxo dos resultados que apresentei com meu trabalho enquanto narrador esportivo – minha principal função e motivo pelo qual me dedico ao jornalismo - e os problemas que enfrentei nos bastidores durante esses anos, humilde e despretensiosamente chego a uma conclusão: as qualidades necessárias para narrar no Sistema Verdes Mares eu possuo, mas os defeitos ideais para me manter no cargo, estes me faltam.
Kaio Cézar

sábado, 16 de fevereiro de 2019

TEVÊ. A Verdes Mares divulga nota sobre o caso Kaio Cézar


TV. Demissão de Kaio seria por conta de pressões internas

O gesto do apresentador Kaio Cézar, da TV Verdes Mares, demitindo-se em pleno ar no final da edição do Globo Esporte deste sábado, causou enorme repercussão, principalmente, nas redes sociais.  O vídeo da gravação ganhou dezenas de visualizações, muito embora deixasse os internautas sem uma explicação mais convincente. 

Fizemos algumas tentativas de contato com ele, através de ligações para o seu celular, mas ele não atendeu a nenhuma. Fontes extra-oficiais ligam a demissão ao fato de que ele não ficou satisfeito com problemas relacionados a cortes de salário e falta de folgas, além de pressões feitas em torno dos que atuam na emissora. O Portal Alta Definição justifica "falta de pagamento seriam os motivos". 

Em todo o País, a notícia da demissão foi replicada por sites ligados a entretenimento e ao esporte como o Catraca Livre, Yahoo Esporte, Eliomar de Lima e outros. 

Embora não haja nenhuma postagem relacionada ao fato, na página do Facebook de Kaio, os internautas se manifestaram. A  maioria dos fãs solidarizando-se com ele. Apoiando-o e dando-lhe força. 

TV. Kaio Cézar pede demissão em pleno ar no Globo Esporte

Surpresa no final do Globo Esporte da TV Verdes Mares, deste sábado: o competente narrador Kaio Cézar se despediu do público com ar de quem estava desgostoso e foi bem explícito: "Bom pessoal o Globo Esporte vai ficando por aqui e quero dizer que eu também fico. Porque neste momento estou pedindo demissão do Sistema Verdes Mares. Não abro mão do respeito, nem da dignidade para estar em lugar nenhum". E saiu de cena com a cara amarrada olhando para alguém no interior do estúdio.

O GENTE DE MÍDIA vai apurar e contar as razões que levaram o profissional a pedir demissão de forma tão inusitada. 

NOMES. O cinema perde Bruno Ganz, de "A Queda"


O ator suíço Bruno Ganz, famoso por interpretar o ditador nazista Adolf Hitler em “A Queda” (2004), morreu, neste sábado (16), em sua residência em Zurique, aos 77 anos de idade.
A informação foi confirmada pela imprensa alemã, mas as causas da morte não foram reveladas.
Ao longo de 50 anos de carreira, Ganz também estrelou diversos papéis de destaque, como o anjo Damiel em Asas do Desejo (1987) e na sequência Tão Longe, Tão Perto (1993), produções assinadas pelo alemão Wim Wenders.
(IstoÉ)

PLÁGIO. Padre Marcelo Rossi vai depor na Polícia carioca


Próxima semana, o padre Marcelo Rossi, de 51 anos, vai à Polícia prestar depoimento no inquérito em que apura denúncia de suposto plágio, envolvendo a escritora carioca Izaura Gargia, de 62 anos. 
Segundo o jornal carioca O DIA, o sacerdote, que já respondeu a outros dois processos por supostos plágios, não comenta o assunto, mas sua assessoria informou que ele está disposto a prestar todos os esclarecimentos que se fizerem necessários.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2019

BOECHAT. Empresas prestam homenagens ao âncora da Band


A revista ISTOÉ, onde Ricardo Boechat foi colunista ao longo de 11 anos, presta na edição deste fim-de-semana uma justa homenagem ao jornalista. Sua página está em branco com o registro da Editora3. 

Aqui no Ceará, o Sistema Jangadeiro de Rádio vai lembrar a passagem de Boechat pela Tribuna Band News e pela NordesTV, na segunda feira. Às 18 horas, no pátio da emissora, na avenida Antonio Sales, será celebrada missa de saudades aberta a participação popular. 

PERSONALIDADE. A grandeza do nome de Bibi Ferreira

Um leitor do GENTE DE MÍDIA nos telefona para reclamar que, não viu no blog o registro da passagem de Bibi Ferreira, ocorrido esta semana. É verdade. Mas, embora consideremos uma das maiores representantes da arte cênica brasileira - senão a maior -  não fizemos o registro com a mesma rotina de outras mortes. Até porque, de tantas notas assim, vamos acabar virando um blog só de obituário. 

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

LITERATURA. A porção de luz de Nirton Venâncio em poesia

Nirton Venâncio é um dos profissionais da mídia com quem aprendi a ter a lucidez de avaliar os acontecimentos que a gente trabalhava, transportá-los ao impresso, com a grandeza da sua participação. Ele dividiu conosco algumas das matérias que fizemos, ele como repórter fotográfico de íntima percepção. E era mais do que isso; era um poeta. 

Com ele, aprendi a ter a ciência de que, na calma e na tranquilidade do seu fazer jornalístico, a alma da notícia se incorporava na magia das imagens, Por isso, o envolvimento com a matéria a qual eu produzia me levava a mergulhar no âmago de suas fotos e tirar dali lições que os leitores saberiam absorver. 

A imagem que ele fotografava era um componente importante ao texto que as páginas de O Povo abrigavam. Principalmente, porque as fotos do Nirton retratavam um misto de informação e poesia que se escondia por trás dos fatos mais simples. As suas imagens engrandeciam o nosso texto com um subliminar manto de poesia.

Pois esse lado poeta tem aflorado bastante na alma dessa grande alma que ele é. E, agora, sexta feira, dia 15, uma porção dessa luz materializada em poemas será entregue por ele "aos amigos que sempre estiveram no ponto de vista do meu coração", como ele tão bem escreveu no convite do lançamento. 

E ao enviar para mim um desses convites, um elo de orgulho preencheu-me a alma ao saber que, a bonomia de Nirton, me incluiu entre as pessoas de sua estima. O que é que eu queria mais? 

SERVIÇO

LIVRO: Poesia Provisória
AUTOR: Nirton Venâncio
QUANDO: Sexta, 15
ONDE:Livraria Lamarca
Av da Universidade, 2475
HORA: 19 horas

TV. Tom Cavalcante e Miguel Falabella juntos em novo sitcom


A dupla que ficou famosa no Sai de Baixo (1996-2002), que virou filme que será lançado dia 21 próximo, agora poderá reunir-se outra vez. Falo de Miguel Falabella, 62, e Tom Cavalcante, 56, que atuarão em um "sitcom" na Globo. 

A informação da UOL dá conta de que a dupla irá fazer um projeto onde eles atuarão como um casal gay. O projeto deve ser apresentado daqui a 15 dias à Globo para aprovação. A torcida do público, certamente, é de que eles possam dar (ops!) certo. 

terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

NOMES. Morre Deise Cipriano do grupo musical Fat Family

Morreu na tarde desta terça-feira (12), a cantora Deise Cipriano, do Fat Family. Foi vítima de câncer no fígado e desaparece aos 39 anos.
Segundo informações do UOL, Deise foi internada em 21 de agosto após passar mal, a cantora foi diagnosticada com câncer no aparelho digestivo. 

BOECHAT. Uma ausência a ser lamentada no rádio brasileiro


Boechat é um profissional que consegue unir em torno de sua figura, as mais diferentes bandeiras de empresas jornalísticas do País. Nota-se pelo que a sua morte alterou a grade de programação das mais diversas redes de rádio e TV. É a marca impressionante do fazer jornalismo que impõe esses registros. 

Independente e motivador, desde cedo, quando atuava como assistente de Ibrahim Sued e de Zózimo Barroso do Amaral, no Jornal do Brasil, ele já demonstrava a sua preocupação em ampliar o foco das notícias: o colunismo era voltado para o registro social do “high society” e, ele, começou a introduzir notas que fugiam a essa rotina.

Na Globo atuou no Jornal da Globo, no Bom Dia Brasil, até ser convidado para comandar o projeto de se tornar âncora de uma rede de rádio. Foi aí que ele se descobriu homem dado ao compromisso de informar com inteligência, criticar com liberdade e atrair a atenção de um público variado, no mundo todo. Diariamente, ouvintes da Band News ligavam para ele de várias partes do Planeta.

Há cerca de seis anos, ele veio inaugurar a Tribuna Band News. Eu que já tinha ido a SP para conhecer a rotina da grade de programação da emissora, convivi no seu dia-a-dia de trabalho e, aqui, dividimos espaços na programação.
Jornalista ético e de qualidade, ele deixa uma bagagem do bom jornalismo e serve de modelos a todos nós, principalmente, aos jovens jornalistas e estudantes que desejarem seguir um ícone com bastante representatividade.

Autêntico, livre, Boechat deixa uma escola em busca do aprimoramento do bom jornalismo. Que ele tão bem prestou como serviço à Nação.

RÁDIO Sistema Jangadeiro faz homenagem a Ricardo Boechat


TV/RÁDIO. Quem vai substituir Boechat no Jornal da Band

Oficialmente, a direção da Band nem pensa ainda em quem poderá ocupar o lugar deixado por Ricardo Boechat, mas já parece claro, a essa altura, que não haverá mais ninguém acumulando, como acontecia com o jornalista, a ancoragem do horário nobre da rádio BandNews (pela manhã) e da TV (à noite), com o "Jornal da Band". 

Ontem, diante do susto pela morte do jornalista, a emissora escalou Fábio Pannunzio, apresentador do "Jornal da Noite", para ancorar o noticiário antes comandado por Boechat. Ele ficará no cargo até segunda ordem. Na rádio, Eduardo Barão e Carla Bigatto, que o acompanhavam, vão se revezar, sem novo parceiro.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

BOECHAT. Uma lembrança da passagem dele por Fortaleza


NOMES. Morre o radialista cearense Aderson Maia

Morreu, nesta manhã de segunda-feira, o radialista Aderson Maia (82). Ele estava internado, há semanas, no Hospital Otoclínica e morreu vítima de complicações do diabetes.
Aderson Maia foi presidente do Sindicato dos Radialistas do Ceará e da Associação dos Profissionais da Crônica Desportiva do Estado (Apcdec), bem como dirigente do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) do Estado.
Ele também presidiu a Associação Brasileira dos Cronistas Esportivos (Abrace) e ocupou a vice-presidência da Associação Internacional de Imprensa Esportiva.
O velório ocorrerá na Igreja Presbiteriana (Rua Visconde do Rio Branco – Centro), a partir das 12 horas. A família não informou ainda sobre o enterro.
(Blog do Eliomar)

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

LIVROS. Edição de 'Alice' em taquigrafia completa 100 anos

Olha que coisa mais incrível! Uma edição da obra de Lewis Carrol, "Alice no País das Maravilhas", publicada em taquigrafia está completando 100 anos. Li no Public Domain Review. É uma edição única. 

Para matar a sua curiosidade, o GENTE DE MÍDIA vai remeter você à consulta da obra. 


CLIQUE AQUI