terça-feira, 15 de outubro de 2019

GENTE. Karine Alexandrino se diz vítima de "abuso moral"


A cantora e compositora cearense Karine Alexandrino denunciou hoje em postagens no Facebook, ser vítima de "abuso moral e até desumanidade", sem contudo entrar em maiores detalhes. 

Dizendo-se estar viva e plena de apoio dos fãs do seu trabalho, anuncia a volta às atividades em show que marcará os 25 anos de sua vida artística, na qual adotou a égide de "mulher tombada". A torcida nossa para que ela se reencontre com os seus melhores dias. 


Essa é uma tentativa de sorriso. Cansei mesmo de ser feita de idiota por pessoas próximas e que neste momento estão agindo com o máximo de abuso moral e até desumanidade. Sou um ser humano altruísta, sou uma cidadã “empata”, mas esse dia de hoje é o início do meu “CHEGA”. Só eu sei o que passei e o que lutei pra ser a pessoa que sou. A respeitar meus limites, a não ser antiética no meu trabalho. Não sou santa mas não prejudico ninguém. Estou distribuindo pelo Brasil minhas cópias dos meus álbuns a preços módicos mas que pra mim vale muito por poder lidar e testemunhar o carinho de vcs e mesmo o apoio financeiro. Não sou megalô e sei produzir dentro do mercado independente há mais de 25 anos. Comecei aos 16. Estou viva e plena pelo apoio dos fãs do meu trabalho e dos poucos amigos íntimos. O resto é só hostilidade. Tenho um show pra fazer dos meus 25 anos de carreira e nada vai me atrapalhar. Nem a mediocridade de quem pensa tudo saber com seus dedos sujos apontados pro meu rosto. Não preciso de tapa na cara. Sou delicada e basta um olhar. Vou organizar meu show em breve de Fortaleza e organizarei minha mini turnê de lançamento, concomitantemente ao lançamento do meu livrinho que chamo carinhosamente de zine-art feito em parceria com o amigo importantíssimo @regisamora que é artista visual e chega junto. Preciso do apoio de vcs para minha marcha de largada. Vou ligar o foda-se pra quem não percebe quem sou como ser humano e muito menos como artista. Avareza, hostilidade, inveja, projeção, desrespeito, abuso. Estou fora de tudo isso. Apenas observo. Vai dar certo. Já passou da hora do meu grito. Nenhum comensal vai destruir meu entusiasmo. To aqui é pra lutar e garantir minha parte cuidadosamente pensada, administrada, focada. Estou falando do meu ofício, apesar dos percalços e qualquer tipo de autossabotagem, resistirei aos ratos.

Nenhum comentário: