segunda-feira, 17 de junho de 2019

JORNALISMO. The Intercept Brasil busca colaboradores

O jornalista Green Greewald, responsável pela divulgação das conversas entre o então juiz Sérgio Moro e o colega Delton Dallagnol, nos envia e-mail falando sobre a importância do The Intercept Brasil. 



O Intercept não tem fins lucrativos, por isso não estamos submetidos à pressão exercida pela publicidade ou por patrocinadores. Isto nos permite manter o foco no que é essencial: fazer jornalismo denso, de qualidade e que não arrega.

Desde que comecei a escrever sobre política em um blog gratuito em 2005, o apoio dos leitores tem sido fundamental para me permitir fazer esse tipo de jornalismo, priorizando o compromisso com o interesse público e com quem acompanha meu trabalho. Isso vale ainda hoje para a equipe do TIB, que é a melhor e mais corajosa equipe de jornalistas no país.

De maneira mais objetiva, a contribuição dos leitores permite ao TIB financiar a contratação de pessoal e a produção de mais e melhores matérias (sim! Elas demandam muitos recursos de pesquisa, visuais, jurídicos etc.). Foi o que garantiu a espetacular cobertura do Intercept Brasil durante a eleição e vai permitir que o site se expanda em 2019.

Porém, essa parceria entre o veículo e o leitor acontece também de maneira mais profunda. O nosso trabalho torna-se um tremendo esforço coletivo. No fim das contas, é o que permite que a nossa cobertura permaneça totalmente sem amarras políticas ou financeiras. A equipe continuará trabalhando sem rabo preso graças a vocês!

Por isso quero te convidar para conhecer melhor o que nós produzimos. Aqui embaixo estão algumas das melhores histórias do TIB. E quero também que você faça parte do nosso trabalho e da nossa comunidade: compartilhando nossas matérias, enviando esse texto para seus contatos e contribuindo conosco. 

2 comentários:

djacyrsouza disse...


Caro Nonato:
Como sabes sou fã do rádio e principalmente o rádio AM. Por tudo isso fiz até curso de radialista e tentei emplacar programas voltados para a cultura e cidadania. Infelizmente esta não é a praia nem dos ouvintes nem do próprio rádio.
Tenho notado que o rádio AM com a política do arrendamento tem se tornado "terra de ninguém". Alguns radialistas ou não se aproveitam do fato de arrendarem os programas e cometem os mais sérios atos que ferem a ética da comunicação.
Atualmente na Ceará Rádio Clube um radialista da Ceará Rádio Clube , uma pioneira que foi criada com grandes desejos de respeito ao ouvinte e que teve grandes nomes do rádio chamado OSWALDO AZIM polui nossos ouvidos com palavrões, acusações, denominações infelizes e diversos gritos desprezando até mesmo a lógica do falar no rádio. Para completar como professor me sinto desconfortável ao ouvir este senhor que tem nome sim no rádio chamar a todos nós de vagabundos e baderneiros. Será que este rádio merece fazer parte da nossa vida? Infelizmente pare que hoje a rádio não tem direção, na época do grande Eduardo Campos isso não aconteceria...Já vi este senhor xingar companheiros, zombar de seu trabalho e até acusar de esquerdista...Não é esse o rádio que merecemos...Isso prova o ocaso do rádio AM?
Se quiser publicar este texto fique à vontade...rádio é respeito... a todos independente de quem seja

Anônimo disse...

Triste fim do jornalista Nonato Albuquerque: fazendo panfletismo político-partidário... Já era de lascar você fazendo pregação pela paz, ética, etc., apresentando programa que sobrevive da desgraça alheia, desrespeitando pessoas, etc., agora mais essa... Sinto falta daquele Nonato que não se colocava à venda, da época do Secretário do Povo...