sexta-feira, 11 de setembro de 2015

TV. Quem mais vê televisão nesses tempos de internet


SBT o único da aberta a registrar crescimento
Nos últimos tempos, ninguém 'vê' mais TV como antigamente. Surpreso! Além da queda drástica da audiência da tv aberta e o crescimento da tv paga, há um fenômeno novo prevalecendo no mercado. O telespectador pode até abrir o televisor, mas a atenção dele está voltada para os equipamentos que lhe permitem navegar na Internet. Com isso, o olhar do público jovem cada vez mais se transfere para os notebooks, tablets e smartphones, interessados na interação mais ágil e produtiva das redes sociais. 

O ibope registrou a queda de audiência que é comentada pelo colunista da UOL Ricardo Feltrin: em cinco anos, a TV paga teve um crescimento de 135 por cento de público e com a inserção de programas como os da Multishow, voltados para o segmento do humor, a tendência é elevar esse índice ainda mais. 


Pela primeira vez é possível apresentar em números cabais como a audiência da TV aberta está perdendo público enquanto o telespectador migra cada vez mais para a TV paga, e em todo o Brasil.

Embora somente cerca de 20 milhões de lares ou pontos brasileiros tenham TV por assinatura (28% da população), a audiência dos chamados OCNs (todos os canais pagos, excluindo todos os canais abertos) cresceu cerca de 135% desde 2010.

Cinco anos atrás, os OCNs registraram na média anual, calculada 24 horas por dia, exatos 3,7 pontos de ibope.

Em 2015, porém, até o último dia 31 de agosto, essa média já está em 8,7 pontos. Isso representa um crescimento de espantosos 135%.

São dados consolidados do Painel Nacional de Televisão (PNT), medido nas 15 maiores regiões metropolitanas do país.

Desde 2010, todas as emissoras abertas, exceto o SBT, perderam pontos de audiência.

A Globo, líder isolada, caiu de 14,6 pontos em 2010 para 12,4 pontos este ano (queda de 16%).

A Record passou de 5,7 pontos (2010) para 4,4 pontos (queda de 23%)

A Band, por sua vez, caiu de 1,8 ponto para 1,5 ponto (-16,6%)

E a RedeTV!, a que mais perdeu em porcentagem, caiu de 0,9 para 0,5 ponto (-44%).
Lourival Ribeiro/SBT
SBT é a única emissora da TV aberta a registrar crescimento na audiência

O SBT, única emissora que registrou algum crescimento, passou de 4,7 para 4,9 pontos (+4%)
Curiosamente, nos últimos cinco anos o uso do aparelho de TV para outras finalidades, como jogar videogame e assistir a DVDs (sim, o ibope também mede isso), está praticamente estagnado em 2,5 pontos. Este ano, para ser mais preciso, está em 2,4 pontos.

Se somadas a audiência da TV paga com o uso da TV para games e DVDs, chegamos a um número (11,1 pontos) que é maior do que o ibope da Record e do SBT juntos.

O total de TVs ligadas no país em cinco anos não teve um aumento muito expressivo: passou de 33,9% em 2010 para 34,6% este ano (veja abaixo a evolução ano a ano das audiências das TVs abertas, da TV paga e do uso da TV para games e DVDs).

É preciso considerar que cada ponto no PNT equivale hoje a 233 mil domicílios, mas em 2010 equivalia a menos de 200 mil.

No entanto, esse incremento no valor de cada ponto também vale para a TV paga, obviamente. E não interfere na análise de comportamento do telespectador, como mostram os números abaixo, ano após ano.

Um comentário:

Eduardo Valente disse...

...eu vejo um pouco além: se as emissoras abertas oferecessem seu conteúdo por streaming talvez a queda não fosse tão perceptível. Eu deixei de assinar tv paga e quase nunca assisto a tv aberta e isso não significa dizer que eu não assista os programas gerados por ambas. O que mudou é que agora EU escolho o que assistir e onde... meu tempo gasto com programas de TV continua o mesmo (ou quem sabe até aumentou) mas eu uso o Netflix ou o Youtube para assistir na minha rede, no quintal, na sala, no banheiro, através do meu celular, do meu tablet, do meu PC ou da minha TV conectada na HORA em que EU quiser...

É o cliente tomando as rédeas do serviço!