sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Cheiro obriga apresentador a mudar programa


Tem coisa mais chata que trabalhar em ambiente com problemas de poluição? Todo local de trabalho devia exibir o mínimo de qualidade possível. Em rádio, principalmente. Evitar-se-ia transtornos para seus funcionários e quebra de continuidade nas operações.

Início da tarde de hoje, o apresentador Augusto Borges abria seu programa na Super Rádio Clube, quando precisou interrompê-lo. O forte cheiro de perfume deixado por alguém, dominava o estúdio. Alérgico, ele desculpou-se e pediu à técnica para colocar música.

Um outro exemplo, ocorre conosco. Há duas semanas, no estúdio da Povo-CBN o sistema de refrigeração está com problemas. O serviço técnico já foi, mas tudo continua na mesma. Isso acaba interferindo na produtividade, além de prejudicar o equipamento da emissora.

Atitude coerente tem as empresas que elegem fiscais para verificação de problemas assim e evitar prejuízos para todos.

Nenhum comentário: