quinta-feira, 30 de março de 2017

RÁDIO. 80 por cento dos brasileiros dizem ouvir rádio

O rádio permanece relevante para o ouvinte e, consequentemente, para o anunciante. A conclusão está na pesquisa Book de Rádio, panorama da Kantar Ibope Media sobre o meio e o comportamento do ouvinte de 2016. De acordo com o levantamento, a evolução tecnológica, apontada como possível responsável pelo fim do rádio, é considerada uma das principais ferramentas para democratizar a veiculação de conteúdo sonoro nas mais diversas plataformas e formatos.

Nas 13 regiões metropolitanas onde a pesquisa foi realizada, o alcance do rádio atingiu 89% da população, com média de 4h36min de sintonia diária. 

Em Belo Horizonte (MG), o rádio tem maior alcance, chegando a 96% da população mineira. 

A pesquisa comportamental revela ainda que os moradores de Goiânia (GO) são os que dedicam mais tempo do seu dia para o rádio: 5h34min. 

“Diariamente ouvimos comentários de que o rádio está morrendo, mas essa informação é falsa. O estudo indica que ele está muito presente na vida das pessoas, se adaptou muito bem ao advento da tecnologia, além de ser portátil e, com a internet, permite acesso a conteúdos retroativos para serem ouvidos a qualquer hora”, destaca Dora Câmara, diretora-executiva-comercial Brasil da Kantar Ibope Media. 

O estudo traz ainda dados sobre o perfil demográfico do ouvinte, como hábitos, preferências, opiniões e consumo. Ao avaliar a audiência, a pesquisa apresenta informações sobre a compra de espaço publicitário no meio, incluindo principais categorias e anunciantes. De janeiro a novembro de 2016, foram veiculados 4,5 milhões de inserções publicitárias de 9.850 anunciantes diferentes, dos quais, 46% exclusivos do meio rádio. 

Fonte: Abert.

Um comentário:

Raimundo Moura disse...

Olá Nonato, li no blog do Cheni no Campo que, é especializado em rádio http://cheninocampo.blogspot.com.br/ que a rádio globo vai tirar radialista veteranos como Antonio Carlos, Pedro Truckão e até o Padre Marcelo, pois vai rejuvenescer sua programação a partir de maio. Para isso escalou Otaviano Costa, Mariana Godoy, Léo James entres outros. Qual sua opinião sobre essa mudanças que o rádio tem sofrido recentemente? Queria saber se o rádio AM com a migração para o FM se manterá a audiência?