segunda-feira, 20 de março de 2017

PROFISSIONAL. Os 50 anos de rádio e TV de Wilton Bezerra

Witon Bezerra está completando 50 anos de profissão. Uma avaliação do que foram esses anos está sendo feita por Marcel Cordeiro Bezerra e Wilton Bezerra Jr, com quem melhor convive com esse figuraço do rádio e TV. 



Depois de sua inauguração, em fevereiro de 1967, a Rádio Progresso AM de Juazeiro do Norte, emissora pertencente ao grupo empresarial Bezerra de Menezes, estruturou  de forma empírica, no mesmo ano, a sua primeira equipe esportiva. 
Da sala da discoteca, Wilton Bezerra, o então operador e programador, ouviu um ensaio feito com gravador para uma transmissão que seria realizada da quadra de futebol de salão da extinta CELCA, a Companhia de Eletricidade do Cariri. 
Era a cobertura de um torneio de equipes amadoras. Wellington Amorim, jornalista, e Damião Gomes, colaborador da emissora, simulavam narração e reportagem.
Naquele momento, Wilton se integrou à dupla e foi responsável pela narração do jogo. Ao lado, o comunicador, publicitário e desportista juazeirense Dário Maia Coimbra, o inesquecível "Darim".
Começava ali, 50 anos atrás, a trajetória do comentarista, hoje, integrante do Sistema Verdes Mares de Comunicação.
Em 1979, depois de 12 anos na Rádio Progresso, onde desempenhou várias funções, foi contratado pela Rádio Uirapuru de Fortaleza, para a equipe esportiva de Moésio Loiola. 
A seguir, em 1983, formou sua própria equipe, na Rádio Cidade AM 860, onde permaneceu por 11 anos. De lá, cedeu a uma boa proposta salarial e reingressou na Rádio Assunção, novamente sob o comando de Moésio Loiola.
Em 2011, foi contratado pela TV Diário e Rádio Verdes Mares, a Verdinha, onde permanece até hoje.
Sem esquecer que, desde o começo da sua trajetória de 38 anos na imprensa da capital, Wilton Bezerra atua na TVC, antiga TV Educativa, onde teve ingresso no ano de 1983.
Na televisão, foi comentarista dos noticiários e programas esportivos da TV Uirapuru e TV Cidade, ao longo dos anos 1980, 1990 e 2000.
Seu valor de mercado foi sempre baseado na conduta de isenção, na fundamentação de suas análises e na consequente credibilidade conquistada junto ao público.
Definir o tamanho de sua competência é tarefa que Wilton Bezerra sempre preferiu deixar a cargo da prezada, numerosa e cativa audiência. Afinal, o povo é quem faz a voz das ruas. Só ele fala por si, entende o comentarista. 
De si, Wilton se reserva a não muito dizer.  Apenas, que se considera um profissional com razoável capacidade de discernimento e alguém que sabe alguns minutos de alguns assuntos. 
Muita modéstia da parte dele, mas não adianta. O nome de Wilton Bezerra continua na boca do povo e sempre escrito entre as maiores estrelas do esporte e da comunicação de nosso Estado.
Parabéns, grande comentarista, que você merece!
Dos seus jornalistas Marcel Cordeiro Bezerra e Wilton Bezerra Júnior, aqui, vai este breve retrospecto sobre 50 anos de de muita luta e profissionalismo. Um gesto de homenagem a um autêntico artista da palavra. Um ídolo para seus filhos !

Um comentário:

José de Arimatéa dos Santos disse...

Wilton Bezerra, considero um dos melhores comentaristas desse país. Uma análise que passa longe do lugar comum da maioria dos analistas do futebol. Além de demonstrar um ótimo conhecimento em geral que só ajuda em suas análises no futebol.