quinta-feira, 10 de novembro de 2016

JORNALISMO. Dicas para ser um bom repórter esportivo

Um blog espanhol relacionou dicas para quem faz cobertura esportiva. Como ser um bom repórter esportivo? Entre as recomendações do jornalista José Luis Rojas Torrijos, que eu modestamente adaptei aqui para o GENTE DE MÍDIA estão rigor jornalístico, honestidade na narrativa e a vontade de informar, "tudo é importante para o bom desempenho da função". 
DICAS 
1. Jornalismo esportivo é jornalismo. Seu papel é para informar, como em qualquer outra área deste mister. Aqui as mesmas regras gerais de rigor jornalístico, a ética, a honestidade, equilíbrio, contraste, o aplicar-se ao trabalho. 
2. O jornalista não deve ter parcialidade. O parcial não relata; torce. Não analisa, insulta. Sem comentários, incita. Não usa a razão, apenas sente. O fanático não critica, odeia. O repórter-torcedor se revela feliz quando a equipe ganha, sofre quando perde, por conta da paixão que impede o jornalista dar um bom serviço ao seu público.
3. Conte histórias. As informações (contratos, lesões, resultados, etc.) são importantes, mas é um processo ocasional e rápido. A história, a história é o que atrai o público e, em geral, o que você pode achar mais útil.
4. O boato não é notícia. No jornalismo esportivo é comum para os jornalistas espalhar rumores, especialmente quando se trata de potenciais focas. Tenha cuidado, pode estar por trás de interesses comerciais ou apenas informações falsas. Em qualquer caso, divulgando relatos não confirmados pode afetar sua credibilidade.
 5. Lembre-se: um jogo é apenas um jogo. O esporte é entretenimento e uma vitória da equipe ou perda não significa que o mundo está acabando ou que o céu foi alcançado. 
6. Não seja ingênuo: isso é mais do que um jogo. Além de ser um jogo, o esporte é um negócio que tem interesses por trás. E onde há dinheiro...  O dever de um jornalista é para encontrar sujeira em qualquer atividade, mesmo no desporto. Mas nem tudo é mau, porque além de ser um jogo simples que traz satisfação e felicidade, o desporto é uma oportunidade para difundir valores, princípios, comportamento ético, etc.
7. Não amargar seu público com falsas expectativas. Informe, mas lembre-se de estar com o seu público, respeitando as suas dores, não machucando seus sentimentos ou tornar-se parte de um tribunal de inquisição contra ninguém. 
 8. Você não é nem árbitro técnico. O jornalista não deve julgar, mas sua funçãao é informar. Muitas vezes, o suficiente para mostrar algo que leve o público a "tirar as suas próprias conclusões." Você não precisa pensar para o seu público, ele pode fazê-lo sozinho.
9. Quer respostas inteligentes de atletas? Faça perguntas inteligentes.
10. Você não é superior. Não pense que ser conhecido ou ser estrelas perto de esportistas famosos lhe fazem ser melhor do que outras pessoas. Humildade permite que você seja ujornalista melhor.
11. Um jornalista esportivo é um culto jornalista. O jornalismo esportivo não deve estar longe da cultura ou separado do mundo exterior. Uma boa cultura é importante para que o jornalista possa fornecer um melhor serviço ao seu público. Vincular o esporte para situações cotidianas de pessoas, mostrar sua relação com outras áreas (política, econômica, social, etc.), dar um sentido útil ao desporto são obrigações que melhor pode atender aqueles que são mais educados.
autor Rogelio Garcia Lupo, jornalista .

Nenhum comentário: