sábado, 8 de agosto de 2015

TV. 'Trem Bala' transporta tipos e bordões do Alan Neto


Como tenho compromissos, só nos fins de semana é que vejo a reprise do 'Trem Bala', e sua histriônica trupe. É que Alan Neto, o 'engineer' do programa, criou tipos e performances que puxam o riso. E tudo tem raízes radiofônicas.

'Olha o dedo', 'tempestades e vendavais', 'passa adiante', 'cadê meu alô!', 'musa Bette Davis' e outros jargões que ele inseriu no rádio AM, embarcou com bagagem inteira na versão televisiva. 

Na verdade, Alan bebeu algumas referências na antiga TV Tupi, de onde tirou do estilo Flávio Cavalcante, chavões como 'os homens de ouro'; 'o homem mau' que era o jurado Zé Fernandes e caiu como uma luva no Evaristo Nogueira, de longe a melhor atuação na versão 'bate estaca' que ele faz na tv - esmurrando a mesa. Remonta à caricata exigência de Cavalcanti para compor o seu "Um instante, maestro". 

Nenhum comentário: