sábado, 21 de fevereiro de 2015

TV. Em plena crise dos humorísticos, o 'Só de H' vai bem


O humor está em crise na tv. Querem provas? O desencarne de Chico Anísio. A derrocada dos 'Trapalhões'. A briga que separou Leandro Hassum e Marcos Melhem e levou de roldão 'Os Caras de Pau' na Globo. O despejo dos inquilinos do 'Beco do Riso', na TV Diário. O sumiço do 'Seu Encrenca e dona Cremida'. 

Tem mais: a brincadeira sem graça de Jorge Fernando em 'Divertics'. A chatice em que se transformaram 'Zorra Total' e 'A Praça É Nossa', sem falar da crise que ronda o 'Pânico' e o 'CQC', tudo leva a crer que a maré não anda boa para quem faz humor. Não anda vírgula. Tem um cearense do cacete correndo por fora dessa raia e mostrando que tem tutano para superar até a crise econômica da Dilma. É o "Só de H", encabeçado por Alex Nogueira e Rossicléa.  

Um dos melhores episódios foi o deste sábado, que teve Eliane, a rainha do forró no 'sabatinado'. 

O programa está redondo que nem a Ro... desculpe-me, eu queria dizer a roda. O quadro gravado no 'Play Holi' (ou coisa que o valha!) foi de matar a gente de rir. 

Palma(das) para Alex Nogueira coverlizando o Haydar, que - tãm, tãm, tãm, taam... - apareceu no programa e liberou o quadro 'The Bost', que é, na verdade, um 'must the bost', sátira escrachada do 'Must' que ele apresenta na TV Diário. Aliás, o Luiz Galetto fez a leitura correta da permissão. Haydar disse sim, negando com a cabeça.

O programa está na medida do riso; não cansa, tem boa edição e pode melhorar. A banda do Ricardo Diamante faz por onde merecer o estrondoso cachê(?) e só falta uma coisa: botar no canto da parede o Cyro Thomaz, superintendente, cobrando dele uma reprise durante a semana. E que não fique na conversa. Como diz o título do programa: só de H. 

Nenhum comentário: