quinta-feira, 27 de outubro de 2011

TERMINAIS. Novos casos de proibição


Mais denúncias de proibição do uso dos terminais para pesquisa e até mesmo para difusão de cultura chegam ao nosso conhecimento. O advogado e poeta Francisco Facó, do Montese, diz que foi distribuir poesias no terminal de Parangaba "e fui proibido de levar um pouco de cultura".

Uma turma de alunos do Jardim Iracema, segundo um ouvinte da POVO-CBN, foi fazer um trabalho no Papicu e a administração disse que nem jornalistas podiam atuar ali.

Já o jornalista e professor universitário Luiz Paulo Machado estranhou toda essa restrição à liberdade de expressão. "Eu cansei de faze reportagens dentro dos terminais. Não sei porque está acontecendo isso", disse o professor.

Nem eu...

3 comentários:

DAVID COELHO disse...

Existem varias pessoas pedindo esmolas no terminal de Parangaba sem censura.
Em 2012 não existira proibição para os politicos distribuirem panfletos informativos com muitas mentiras.

Anônimo disse...

O que é isso? Onde nós estamos? Dizem que vivemos na democracia, mas a democracia é de quem pode... proibir a livre ação de quem está pesquisando é um crime... Numa hora dessas era primordial a ação do Sindicato dos Jornalistas, da Comissão de Direitos Humanos da Assembléia e da OAB, mas quem quer saber de democracia? Ele pode ela faz... ainda diziam que era o Juraci que fazia...
PROFDJACYR...

DAVID COELHO disse...

A Prefeitura Municipal de Fortaleza, através da ETUFOR, rasgou a :
CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL
"TÍTULO II
Dos Direitos e Garantias Fundamentais
CAPÍTULO I
DOS DIREITOS E DEVERES INDIVIDUAIS E COLETIVOS
XIII - é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;
XV - é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair com seus bens"