domingo, 29 de agosto de 2010

Jornais. O último domingo do Jornal do Brasil


Hoje foi o último domingo do Jornal do Brasil impresso. A partir da próxima quarta-feira, o JB passa a ser o primeiro órgão de imprensa brasileira 100 por cento digitalizado. Sai das bancas, a edição impressa - o que parece ser a destinação desse tipo de mídia diante das novas ferramentas que surgem com a Internet.



O jornal segue o exemplo do USA Today, o Business Review, o News Blaze, o TMCNet, retransmissoras das televisões Fox e CBS, a Forbes.com etc.

Entre as justificativas dadas pelo próprio jornal de 119 anos de existência, destacam-se os custos econômicos e ambientais do papel, considerados 'insustentáveis e desnecessários'.

"Uma única edição de domingo do Jornal do Brasil corresponde a cerca de 200 árvores que levam anos para crescer e ocupam 40 mil m² de florestas. Isto equivale a quatro campos e meio de futebol. Em um ano, com a versão digital, são preservadas áreas florestais correspondentes a mais de 1.200 Maracanãs.

A natureza leva seis semanas para decompor um único exemplar de jornal em papel.

Ainda assim, qualquer leitor poderá imprimir, seletivamente e sem desperdício de papel, a parte do jornal que deseja em sua casa ou escritório.

Nessa nova fase, o conteúdo digital do JB se dividirá em três áreas de concentração: Tempo Real, JB Digital e Blogosfera, aliada à editoria Sociedade Aberta".

Um comentário:

caçador de verdades disse...

Antes do JB, a Tribuna da Imprensa, de Hélio Fernandes, já havia passado a ser exclusivamente digital,por questões políticas, jurídicas e econômicas.