terça-feira, 10 de julho de 2018

TV. Mudanças no 'The Voice' que estreia dia 17 na Globo


Já começaram as gravações da sétima edição do programa The Voice Brasil (Globo), que estreia na próxima terça-feira (17). Um das principais mudanças promete colocar tempero na disputa entre os técnicos. Ivete Sangalo, Carlinhos Brown, Lulu Santos e Michel Teló terão uma nova ferramenta: o "block button" (botão de bloqueio).
Nele, um técnico poderá barrar outro de escolher um participante que estiver se apresentado durante a audição. Além do tradicional botão vermelho, cada cadeira terá três botões com o nome dos outros três técnicos, permitindo bloquear um deles de convidar o artista que estiver fazendo a audição.

Isso, com certeza, vai deixar o programa mais competitivo. A ideia é dar uma graça na brincadeira e na zoada. [...] Temos muito carinho um pelo o outro, mas, na hora de escolher o candidato ninguém está ali para brincar", afirma Teló, atual tricampeão do programa.



O técnico só saberá que está bloqueado ao escolher o cantor que está se apresentando. O participante, então, não poderá participar do time do técnico barrado, como aconteceu na última edição do The Voice americano. "Todos nós queremos candidatos bons, então vai incrementar o jogo. Para cada bloqueio que um de nós recebermos, teremos de fazer boas escolhas para compensar", diz Brown.
Além do novo botão, que promete divertir e deixar a disputa ainda mais acirrada, o "salvamento instantâneo" vai movimentar os times durante a fase de Batalhas dos Técnicos. Por meio de votação no site do programa, o público poderá salvar um dos eliminados nesta fase da competição.
Na outra mudança, o próximo The Voice Brasil passa a ser exibido às terças e às quintas, em vez de apenas um dia, como foi nas temporadas anteriores. "Assim, teremos a chance de cantar mais no programa, além de aprofundar as histórias dos participantes", diz Teló.
No mais, o programa mantém o formato, com a fase de audição às cegas, batalhas e disputas entre os times dos técnicos. "Essa é a sétima edição. Quem participar agora teve a chance de acompanhar o programa por seis anos. É um bom tempo", analisa Santos.

Nenhum comentário: