sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

JORNALISTAS. Sindjorce divulga mobilização nos jornais

Jornalistas do Diário do Nordeste, O Estado e O Povo aprovam estado de greve







Depois de duas semanas de intensas mobilizações, com plenárias e paralisações nas portas das empresas de jornais e revistas do Ceará, os jornalistas do Diário do Nordeste, do O Estado e do O Povo aprovaram, nestas quarta-feira (07) e quinta-feira (08), o estado de greve. A decisão aconteceu nas assembleias por local de trabalho convocadas pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce).

A categoria tem mostrado disposição e unificou a luta contra a vergonhosa proposta patronal de somente 5% de reajuste salarial, para uma pedida laboral de 9,88 (inflação da data-base da Campanha Salarial 2015/2016).

Em mais de seis anos, é a primeira vez que o estado de greve é aprovado simultaneamente nas três redações. Em abril de 2013, os jornalistas do O Povo já haviam executado um calendário de estado de greve que destravou a campanha salarial daquele período.

Agenda intensa
Em todos os jornais, os trabalhadores aprovaram um calendário do movimento. Já nesta sexta-feira (9), há o indicativo de todos os profissionais vestirem preto, em sinal de luto contra a intransigência dos patrões. Nas camisas, a frase: “Jornalistas Exigem Respeito”.




 
Dentro desta agenda, os jornalistas do O Estado realizaram hoje o que chamaram de “Operação Papa-Léguas”, onde os trabalhadores aceleraram os trabalhos e fecharam a edição do jornal quatro horas mais cedo.
Na terça-feira (13), as atividades continuam com mobilização dos empregados do Diário, às 15 horas, na Praça da Imprensa, do O Estado, às 17 horas, em frente ao jornal, e do O Povo, às 16 horas, na calçada da empresa.
Na quinta-feira (15), empregados da redação do Diário voltam a paralisar às 15 horas, também na Praça em frente ao periódico. E o pessoal do O Povo, às 16 horas.
“É hora de darmos as mãos e lutarmos por nossos direitos, de garantir nossos interesses”, disse Samira de Castro, presidente do Sindjorce. “Estamos pleiteando apenas a manutenção do poder de compra dos nossos salários e respeito por parte dos empregadores”, acrescentou.
Além do calendário de mobilização, os jornalistas deliberaram pela instalação do estado  de assembleia permanente, onde autorizam o sindicato a convocar assembleias a qualquer momento.
Saiba mais
O estado de greve é uma situação que é aprovada pelos trabalhadores alertando aos patrões que a qualquer momento poderão deflagrar a greve. Quando uma categoria decide entrar em estado de greve, significa que ela vai iniciar os preparativos para intensificar sua mobilização e estratégias de resistência.
“Por outro lado, todas estas ações mostram que há um novo patamar de luta dos trabalhadores da notícia contra o patronato no Ceará e que há unidade entre os profissionais nas três redações de impresso. Não vamos nos calar, não vamos aceitar esse arrocho salarial que querem nos impor”, enfatiza Rafael Mesquita, 

Nenhum comentário: