sábado, 31 de outubro de 2015

JORNAIS. As correções e os esclarecimentos da mídia


Você já deve ter lido em algum cantinho dos jornais, a chamada "Erramos". É a oportunidade de se corrigir equívocos cometidos na profissão de repórter. Alguns erros que marcaram a mídia internacional são destaques:

1. Quando da eleição de Karol Wojtyla, ao invés de anunciar o primeiro papa não italiano nos últimos 450 anos, o 'The Times' citou como o 'primeiro papa não-católico".  

2. Olha só essa correção: "O 'Letter' de sábado continha um erro no título. Thomas Boyd não acredita que o presidente Obama é o anticristo, virá depois dos sete reis, de acordo com" revelações ". Ele acredita que Obama seria o sétimo rei".

3. No inglês Morning Bulletin: "Um erro foi impresso em um artigo intitulado "Porcos flutuavam pelo ri Dawson". Na página 11 da história de ontem, o repórter Daniel Burdon escreveu: "Mais de 30.000 porcos estavam flutuando rio abaixo do Dawson". O que lhe disse o proprietário da fazenda de porcos, Sid Everingham, foi que "30 porcas e porcos" e não "30.000 porcos ". O Morning Bulletin pede desculpas por esse erro que também foi impresso na Farm Weekly antes de ser conhecido".

4. Até o 'New York Times' errou e corrigiu no dia 7 de janeiro: "Uma versão anterior deste artigo citou erroneamente o nome do país onde Tommy Caldwell nasceu em Quirguistão. Kyrzbekistan, não existe.".



5. Na revista 'The Spokesman': "Um artigo do dia 5 de abril Fraijo alegou que Maria não respondeu as chamadas de um repórter que queria sua opinião. Fraijo morreu em dezembro passado."

NO BRASIL 

Para conhecer pesquisa sobre o índice de correções nos jornais brasileiros, o Instituto Gutenberg divulgou pesquisa da imprensa em relação às seções 'erramos' 


    Um levantamento feito pelo Instituto Gutenberg mostra que, no semestre passado, precisamente de 1.º de janeiro a 30 de junho, a Folha foi a campeã das correções (veja a tabela), com um total de 730 notas. O recorde foi batido em fevereiro: 133 notas (uma nota pode corrigir mais de uma informação errada). Foi raro o dia em que o jornal publicou apenas uma correção, mas em algumas edições divulgou até dez notas, e tem a média de 4 por dia no semestre. O Estadão, com a média de 0,15, faz uma autocrítica monumental quando publica duas notas numa só edição.
    O maior jornal do país foi pioneiro na fixação da seção Erramos, na página 3, abaixo do Painel do Leitor, e deu um bom exemplo. Até a expressão “diferentemente do publicado...” adotada inicialmente pela Folha foi copiada por outros jornais, principalmente pelo Globo. A Folha corrige muito porque erra muito? Não. O alto número de correções indica apenas um serviço de diagnóstico — e reconhecimento — mais atento ao erro. O jornal mantém uma equipe de Controle de Erros que aponta os problemas de cada edição e notifica a Secretaria de Redação. Muitas vezes o ombudsman, provocado pelos leitores, pede correções. A Folha sincronizou a seção Erramos com o Painel do Leitor. Quando uma carta impõe correção, o jornal remete o leitor para “Erramos”, onde é feito o acerto.
    No levantamento do Instituto Gutenberg só foram consideradas as correções ostensivas, divulgadas com este título ou na seção específica. Outra pesquisa apontará as correções jornalisticamente corretas, isto é, de reportagem errada com reportagem certa. Dar à correção o destaque gráfico e o formato originalmente conferidos ao erro é prática rara. Eis um caso, de 28/6, em que a emenda deveria sair em forma de notícia com o destaque proporcional à gravidade do equívoco: “O Ministério Público denunciou o prefeito de Japeri, Luiz Barcelos, por formação de quadrilha e falsificação de documento público, e não o prefeito de Itaguaí, conforme publicado equivocadamente anteontem pelo Jornal do Brasil”.

RÁDIO/TV. Evaristo Nogueira incorpora o personagem


No meio artístico, poucos  são os atores que conseguem introjectar tão bem um personagem quanto o radialista Evaristo Nogueira o faz na tevê O Povo. 

Narrador esportivo da Povo-CBN, ele no entanto só se consagra mesmo é no papel de 'homem-mau', um papel criado pelo titular do 'Trem Bala', Alan Neto inspirado nos 'homens de ouro' do antigo Flávio Cavalcante na TV. É quando Vavá assume a performance do que os franceses chamam de "truc de fou". 

Em pouco mais de um minuto, conseguimos efetuar vários flagrantes de sua performance, numa atuação de deixar Ney Latorraca na chinela. 

RÁDIO. Capital cearense perde voz padrão de noticiosos


Quem está saindo de cena, pelo menos no rádio de Fortaleza, é o radialista Farias Júnior. Ele está largando o batente de locutor em Fortaleza, na Povo-CBN, e vai retornar ao interior. 

Na verdade, ele atende a uma oferta melhor, já que vai dirigir uma estação lá em Brejo Santo. Depois da entrevista concedida a ele pelo prefeito Guilherme Landim, o radialista acabou cedendo ao convite para trabalhar no ano eleitoral de 2016.

O temor é que, em cargo de direção, o público se furta de ouvir uma das vozes que considero de melhor referência em termos de noticiarista. 

MÍDIA. Os famosos que se escondem sob pseudônimo


Nem todo nome de gente famosa o é no registro de nascimento. Têm figuras da mídia cearense que se escondem por trás de pseudônimos. 

Alan Neto, acoplou Alan no final dos anos 60 ao nome Manuel Simplício de Barros Neto

Will Nogueira - Francisco de Assis Nogueira

Ênio Carlos  - Egarmênio Souza Silva

Lúcio Brasileiro - Francisco Newton Cavalcante



ESTATÍSTICAS. O ranking das postagens mais acessadas


E mais uma vez, a semana termina com posts referentes à mídia cearense entre os mais acessados. Em primeiro lugar está a saída de L.C. Galetto do programa 'Só de H', que no dia 26 de outubro teve 189 acessos. 


TELEVISÃO. Tem humorista pegando o beco no Ceará 26 de out de 2015
TEVÊ. Você acha que Silvio Santos foi grosseiro com a Xuxa? 25 de out de 2015,
RÁDIOS. Cearenses no ranking nacional das mais acessadas 24 de out de 2015

TV. Afiliada global demite repórter preso com falsa cocaína


Da coluna 'Notícias na TV' de Daniel Castro: "Afiliada da Globo em Mato Grosso, a TV Centro América demitiu o jornalista Alex Barbosa. Repórter de rede, que produz para os telejornais de cobertura nacional, Barbosa foi preso no último dia 12 quando simulava tráfico de cocaína em uma reportagem em que testava a fragilidade do combate ao tráfico na fronteira do Brasil com a Bolívia. O jornalista e mais três funcionários da TV Centro América transportavam 240 quilos de gesso embalados como se fossem pacotes de cocaína. Eles permaneceram sete horas presos na Polícia Federal de Cáceres (MT).

Barbosa foi desligado na última quarta-feira (28). Ele agora aguarda a decisão da Globo sobre seu futuro profissional. É certo que não ficará desempregado. Deverá ser contratado por outra afiliada da rede ou absorvido por alguma das emissoras da família Marinho. Os repórteres de rede são indicados pela direção-geral de jornalismo, no Rio de Janeiro, mas são contratados e pagos pelas afiliadas. Ex-TV Mirante (Maranhão), da família Sarney, Alex Barbosa estava havia apenas três meses no Mato Grosso. Procurado pelo 'Notícias da TV', o repórter não quis se manifestar.

Barbosa teria sido demitido porque suas reportagens investigativas, como a que expôs a fragilidade da polícia na fronteira, incomodavam o governo local. Pressionados política e economicamente, os donos da TV Centro América teriam decidido demiti-lo. A afiliada tem um histórico de conflitos com a orientação do jornalismo da Globo. Atualmente, encontra-se sob uma espécie de intervenção. O diretor de jornalismo local foi indicado pela Globo, assim como Barbosa.

O repórter e mais três funcionários da TV Centro América foram detidos no dia 12 quando trafegavam pela BR 070. Eles já tinham rodado durante 12 horas pelas estradas do Estado do Mato Grosso com a falsa droga.

Como mostrou uma reportagem exibida pelo Jornal da Globo no dia 13, eles passaram tranquilamente três vezes diante de três postos da Polícia Rodoviária Federal, por um posto do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte) e por blitz de policiais rodoviários. Só foram detidos à noite, em uma blitz do Gefron (Grupo Especial da Fronteira), da Polícia Militar, que os encaminhou para a Polícia Federal. Na PF, foi constatado preliminarmente que o material que transportava era gesso, mas mesmo assim foram instaurado um inquérito e apreendidos os veículos da reportagem.

A pauta desagradou autoridades. O secretário de Segurando do Mato Grosso chegou a dizer à imprensa que, "independentemente da questão de ser reportagem, eles [jornalistas] serão tratados de acordo com o que rege a lei". E cobrou publicamente a exibição da reportagem, mostrando que o repórter falhou na missão de provar a fragilidade do policiamento.

A Polícia Federal, no entanto, foi alertada pelo Ministério Público Federal de que a TV Centro América faria a reportagem. O próprio Alex Barbosa enviou ofício a procuradores da República informando previamente, como medida de segurança, que testaria a eficácia da fiscalização contra o tráfico.

Desde as 15h30 desta sexta (30), o 'Notícias da TV' tenta falar com a direção de jornalismo da TV Centro América, sem sucesso. Os funcionários que atendem às ligações dizem que os responsáveis não se encontram na Redação.

A Globo, oficialmente, diz que Barbosa não foi demitido. Mas é fato o jornalista foi informado pela TV Centro América que seu contrato será rescindido. Ele continua à disposição da Globo, como repórter de rede, mas está sem contrato e afastado da atividade.

JORNAIS. O preço do impresso vai subir amanhã


O preço dos jornais vai subir amanhã. Segue a tendência de tudo nesse país onde inflação é monstro de plantão na crise. 

Tem impresso que passará de R$ 2 para R$ 2,20.
E a explicação é simples: o reajuste de 10% foi provocado pela disparada no valor do papel, comprado em dólar.
De janeiro a outubro, a moeda americana acumula alta de 47%.
A gasolina, que afeta os custos de distribuição do jornal nas bancas, ficou 10,96% mais cara no mesmo período.
O aumento aplicado no preço ainda é inferior ao de itens básicos para os consumidores, como o feijão, que registra avanço de 40,61%, e a energia elétrica, com elevação de 71,29% no mesmo intervalo de tempo.
Os dados são do IPCA-15, prévia da inflação do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
"Os custos de produção do jornal subiram muito por conta da situação econômica do país. Queremos continuar mantendo a qualidade do principal produto vendido em bancas de São Paulo. Por isso, somos obrigados a corrigir os valores contra a nossa vontade", ressalta os dirigentes. 

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

RÁDIO. Nilton Bezerra é a nova contratação da Super Clube


O jornalista Nilton Bezerra (ex-TV Jangadeiro) vai estrear em dezembro um programa de rádio. Será na Ceará Rádio Clube, de 14 às 16 horas. 

SHOW. Artista critica as atrações do 'reveillon' 2016


É, pelo visto, a classe artística cearense não gostou nem pouco da lista de atrações anunciadas para o 'reveillon' de Fortaleza. Em sua página do Facebook, o cantor Paulo Façanha criticou os nomes anunciados considerando "fim dos tempos, que merda". 

Na verdade, não se tem uma 'atração' de porte e peso que a festa merece. Com a grana que se vai gastar com esses da lista, poder-se-ia (ops!) pagar um nome de peso. Ou não?

ATOR. Henri Castelli vai pagar multa por desistir de Jesus


Viver o papel de Jesus, imagino, deva ser o ideal de muitos atores. Para o brasileiro Henri Castelli está sendo um prejuízo. Por ter desistido de ser o protagonista da 'Paixão de Cristo' em Nova Jerusalém, no sertão pernambucano, o ator terá que pagar multa de 500 mil reais. Saiba mais: 

O ator Henri Castelli, no ar na novela "I Love Paraisópolis", após acordo judicial, concordou em pagar R$ 550 mil em dez parcelas para a Sociedade Teatral de Fazenda Nova, realizadora do espetáculo teatral Paixão de Cristo de Nova Jerusalém, em Pernambuco. O ator aceitou uma conciliação homologada nesta quinta-feira (29) pelo Tribunal Regional do Trabalho da Sexta Região (TRT-PE).
O problema entre Castelli e a peça em Nova Jerusalém começou em 2006. Na ocasião, o ator foi contratado para interpretar Jesus Cristo mas não pode cumprir o combinado porque teve que gravar a novela "Cobras & Lagartos".
A Sociedade Teatral de Fazenda Nova entrou com um processo na Justiça Trabalhista pedindo indenização pelos transtornos porque já tinha começado a venda de ingressos. O ator chegou a recorrer ao Tribunal Superior do Trabalho (TST) que manteve a decisão anterior. Para não prolongar o caso, o ator decidiu fazer o acordo. 

MARKETING. Placas de banheiro com bom senso de humor

Via: Tudoporemail
Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro


Divertidas Placas de Banheiro

Divertidas Placas de Banheiro



TECNOLOGIA. Tem novidade chegando nesta sexta feira


PERGUNTAR NÃO OFENDE. Por que somos tão colonizados?


É comum você encontrar nomes estrangeiros ocupando o espaço de designações que deveriam ser da nossa língua. Isso só comprova o nosso estado de colonizados a que estamos afeitos desde os tempos do Império. Estava lendo o anúncio do 'Cool Awards', uma premiação brasileira que bem poderia ter uma denominação portuguêsa e não perderia o charme, a que muitos tentam justificar para explicar o uso do inglês. Quando é que iremos nos enxergar?

FALANDO NISSO

Por algum motivo estranho, brasileiros não gostam do próprio idioma. Não é a aparência, é o look. Não é o rapaz, é o boy. Não é jogo, é o game. Não é subtraço, é underline. Não é programa(de celular), é app. Não é autorretrato, é selfie(afe!) Não é sexta negra, é black friday. Quando ouço essas e outras expressões, me dá até uma sensação ruim. E recomendo a quem me chamar de careta que tenha comigo uma conversa em inglês. É muito melhor do que usar anglicismos pra parecer intelectual e moderno. 

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

MÚSICA. McCartney e Michael Jackson em nova versão


E sai nova versão que Michael Jackson e Paul McCartney gravararam da música 'Say Say Say'. 

O que há de novo? Simplesmente, a nova versão mostra a inversão do original: onde Paul cantava, agora é Michael quem dá conta e vice-versa. 

Para ouvir clique AQUI

VÍDEO. Tom Barros é o personagem de uma tirinha animada




O competente jornalista e radialista Tom Barros é o personagem de um vídeo de tirinhas animadas, uma coluna que o Diário do Nordeste mantém na edição online. Em traço que se assemelha muito com o homenageado, Tom fala sobre a atividade de piloto, um 'hobby' que ele detém há muito tempo. 

CHARGES. Dilma e Cunha são os maiores focos do gênero


quarta-feira, 28 de outubro de 2015

CAPA DE JORNAL. Uma foto com marca de bom profissional


Eduardo Tessler reconheceu como excelente o trabalho fotográfico de Léo Cardoso, do Diário Catarinense. Assino embaixo:
Não há palavras para traduzir a foto de Léo Cardoso, na capa do Diário Catarinense (Florianópolis, SC). Cada ruga, cada ângulo, cada detalhe revela uma informação de qualidade. Um show de imagem e uma edição de coragem, sem medo de apostar em uma super imagem. Uau!

FOTOGRAFIA. O fantástico exibido em imagens antigas







LEITOR TEM VOZ. Internauta denuncia ditadura da beleza


Eduardo Valente, leitor do nosso blog, comentou o post sobre a volta de Eveline Frota, mas só na redação da Verdes Mares:
Caramba, fico triste com uma noticia dessas e ao mesmo tempo extremamente feliz com o retorno - com saúde - da Eveline. A parte triste é saber que a ditadura da beleza é tão forte nos veículos de comunicação. Gordo (ou fofinho como diz minha esposa) que sou, assistia imaginando o quanto ela não deveria pensar no assunto (bariátrica). Ainda acho que o erro tá no figurino, quando se tenta vestir uma pessoa mais fofinha nos padrões magros. Tenho uma prima que é miss-alguma-coisa das gordinhas e é linda, assim como a Eveline... Eduardo Valente

PELO SIM, PELO NÃO


. Sim, Tom Cavalcante volta no Multishow. Seu novo programa chamar-se-á "Tok Tom".Dudu Nobre gravou como convidado anteontem uma sátira do "The Voice Brasil".

. Não, a vocalista Solange Almeida não irá apresentar programa na TV. Ela grava uma vez por mês, um especial para a web-tv, com transmissão pela plataforma ClapMe. 

. Sim, a TV Jangadeiro conseguiu um tento importante com a 'Feira Massa', evento que ajudou na requalifcação do Morro Santa Teresinha, principalmente do Mirante. Que a ideia se amplie a outros locais. 

terça-feira, 27 de outubro de 2015

FOTOGRAFIA. Obama bigodudo celebra manutenção da praça

Fizemos a leitura labial do que o Obama está falando. É o seguinte: "Eu, Obama, estou solidário com a colônia portuguesa de Fortaleza que conseguiu a manutenção da praça Portugal".

DEU NO JORNAL. Da coluna de Mônica Bergamo na Folha


REDES SOCIAIS. Facebook e 'zap zap' são as mais citadas


O Facebook ficou em primeiro lugar na pesquisa Folha Top of Mind das redes sociais mais lembradas no Brasil. O Facebook foi citado por 44% dos entrevistados.

Quem veio em segundo foi o WhatsApp, com 13% das citações. Uma curiosidade: no Norte e no Nordeste, 1% das pessoas apontaram "Zap" ou "Zap Zap", apelidos populares do aplicativo. 

Na pesquisa, 32% dos entrevistados não souberam responder ou não se lembraram de uma marca.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

RÁDIO. Universitária promove encontro de seresteiros


Nesta quarta feira, os serenatistas (conforme costuma dizer Nélson Augusto, referindo-se aos antigos seresteiros) vão se reunir no auditório da CDL, na rua 25 de Março para um encontro com o público da velha MPB. A promoção é da Rádio Universitaria FM. 

Os interessados em participar da audição terão acesso com a doação de uma lata de leite em pó que será destinado a uma entidade que abriga crianças. 

TELEVISÃO. Tem humorista pegando o beco no Ceará


Tem gente do humor na tevê cearense pegando o beco. O rompimento promete dar o que falar, muito embora não faça a linha do desentendimentos comuns entre os profissionais do gênero que se vê a 3 por 4. Trata-se de um integrante da trupe que faz humor e que, esta semana, deixou de participar do elenco. Como pediram 'segredo de estado', a fim de tentá-lo mudar de ideia, deixo de citar o nome mas uma hora haverá de se confirmar a ruptura. 

TV. Novela das 6 acerta ao fazer o mais difícil: ser simples

Emílio Moreno, especial para o Gente de Mídia

A trama das 18 horas da TV Globo, “Além do Tempo” aponta alguns caminhos para que o gênero continue conquistando o público. A novela escrita por Elizabeth Jhin acerta ao reunir um elenco carismático, uma bela fotografia, uma história clássica de amor e por não subestimar a inteligência do público.

Ainda que você não tenha tido tempo de assistir, o fio condutor da história é o cultivo de uvas no sul do Brasil e a comercialização do vinho. A história fala de um amor ‘impossível’ e começa em pleno século XIX. Iniciam-se também ali os principais questionamentos desta trama: e se fosse possível ter outra chance?
Independente de você acreditar ou não na doutrina espírita, pano de fundo da novela, se for um um fã de novela, perceberá como ela é absolutamente fiel ao estilo que consagrou o gênero. A autora, equipe de colaboradores e diretores acertam também na condução da abordagem sobre o espiritismo, não se limitando em tratar apenas de reencarnação ou espíritos.
A trama é de fácil para compreensão até mesmo para o espectador que decide assistir a novela pelo meio. Mesmo que você não tenha visto nenhum capítulo da primeira fase, será capaz de compreender a história. Cada capítulo ganha fôlego como as peças do quebra-cabeça que vai se montando e explicando a história. Além disso, o ritimo da narrativa envolve o espectador fazendo com que ele absorva pouco a pouco cada detalhe da história, tudo acontece ao seu tempo e se conecta.
É inegável que um elenco com nomes como Irene Ravache, Ana Beatriz Nogueira, Nívia Maria e Luis Melo e Carlos Vereza dão ao espectador mais razões para não querer sair da frente da TV ou do computador. É inegável a química de Rafael Cardoso e Paolla Oliveira, como par romântico, um acerto e tanto.
Para além de tudo isso, o horário das 18h horas tem se mostrado um verdadeiro horário nobre da telenovela brasileira. De 2010 pra cá, as novelas do horário podem até não ter sido um sucesso de audiência, visto que o comportamento do público mudou bastante e a participação do público no meio TV só diminui. Mas é fácil lembrar de novelas que caíram no gosto do público como “Cordel Encantado”, “A vida da Gente”, “Lado a Lado”, “Joia Rara”, “Meu pedacinho de Chão”, “Sete Vidas” e agora, “Além do Tempo”. São mais acertos do que erros. Os fãs de novelas agradecem.