domingo, 17 de agosto de 2014

NOMES. Sobre o falecimento do radialista Bosco Alves


Li no perfil do Jucimar Leite, locutor lá do Cariri, a notícia do falecimento de Bosco Alves, radialista. Alguém pode me dar mais detalhes?

ATUALIZANDO
Via: Som da Terra
Morreu por volta das 22 horas deste sábado o radialista João Bosco Alves, de 62 anos, em consequência de uma parada no sistema renal três dias após se submeter a uma cirurgia para a retirada de um tumor no pâncreas. O procedimento aconteceu no Hospital Cura D´Ars em Fortaleza dias após um diagnóstico de câncer. O corpo do conhecido profissional da comunicação chegou às 10h10 no Aeroporto Regional do Cariri e o velório acontece no Centro Anjo da Guarda em Juazeiro.
Atualmente, Bosco Alves estava trabalhando no Cariri da Sorte e era o responsável pela entrega dos prêmios. O sepultamento se dará às 10 horas desta segunda-feira no Cemitério do Socorro. Ele nasceu em Juazeiro do Norte no dia 23 de junho de 1952 e era membro de uma família tradicional de radialistas tendo falecido exatamente um mês após o sepultamento do seu colega narrador esportivo Francisco Silva, o Foguinho, com quem trabalhou.
Bosco era sobrinho dos radialistas Coelho Alves e Geraldo Alves, primo de Cícero Antonio e irmão dos também profissionais da comunicação Paulino e Luca Alves. Praticamente, começou na época em que despontavam no rádio esportivo locutores como Carlos Alencar, Teones Batista, Luiz Carlos, Wilton Bezerra, João Eudes, José Boaventura, Lucier Menezes e outros. Todavia, muito se destacou à frente do programa vespertino Força Total na Rádio Progresso com bastante audiência, cartas e ouvintes no ar.
Trabalhou ainda nas Rádios Iracema e Verde Vale chegando a dirigir a Rádio Cultura de Várzea Alegre quando atendeu convite do seu amigo e empresário, Raimundo Ferreira. Em 1981, ele apresentava às tardes na Rádio Iracema o programa “Falando ao Coração” de músicas bregas. Ao tirar férias, foi substituído pelo radialista – atualmente apresentador da TV Diário – Silvino Neves, que comandava um forrozão no horário noturno. Silvino gostou tanto do estilo que mesclou em seu programa diante do consentimento do Mestre Coelho Alves.
Fora da região do Cariri, atuou, também, como narrador esportivo nas Rádios Cidade e Verdes Mares de Fortaleza. Bosco tinha três filhos do primeiro casamento, sendo duas mulheres, residentes em Juazeiro do Norte, e o filho que é representante de um laboratório de medicamentos em Fortaleza. Sua esposa atual é paciente de um câncer de mama e o radialista vinha acompanhando de perto o tratamento da mesma até descobrir que, também, sofria do mesmo mal.

Nenhum comentário: