quinta-feira, 23 de maio de 2013

JUSTIÇA. Não houve plágio em 'Aquarela'

E a escritora Eliane Ganem perdeu a causa que reclamava na Justiça sobre plágio de uma obra sua que teria sido copiada pelo novelista Lauro César Muniz. A Justiça decidiu que não há violação de direitos autorais se uma obra apresenta a mesma ideia ou um tema determinado em outra. O entendimento da 4ª Turma do Superior Tribunal de Justiça analisou recurso do autor de telenovelas Lauro César Muniz contra decisão do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro que reconheceu uma de suas obras como plágio. 

A escritora alega que o roteiro da minissérie televisiva Aquarela do Brasil fora, na verdade, baseado em um argumento original escrito por ela e entregue anos antes em diversas redes de televisão brasileiras.
 
A minissérie foi exibida pela TV Globo em 2000 e, ambientada no Rio de Janeiro dos anos 40, contava a história de uma jovem humilde que depois de participar de um concurso virou estrela do rádio. O argumento de Ganem, também chamado de Aquarela do Brasil, por sua vez, foi registrado na Biblioteca Nacional em 1996 e contava a história de uma jovem atriz em ascensão.

Nenhum comentário: