quinta-feira, 26 de abril de 2012

NOMES. O adeus a um bom sambista: Dicró


E quem deixou a Terra ontem foi o sambista Carlos Roberto de Oliveira, o Dicró, que tinha letras bem-humoradas e de duplo sentido. Morreu aos 66 anos, por conta de um enfarte. 

Dicró nasceu em 14 de fevereiro de 1946, e especializou em sambas satíricos, cujas letras davam ênfase ao dia a dia do subúrbio e da Baixada Fluminense. O apelido "Dicró" veio da assinatura que ele utilizava com as suas iniciais "De C.R.O." quando fazia parte dos compositores de um bloco de Nilópolis. Entre alguns dos sambas bem-humorados de sua autoria estão "A Vaca da Minha Sogra", "Botei Minha Nega no Seguro", "Funeral do Ricardão", "Olha a Rima" e "Chatuba".

Nenhum comentário: