sexta-feira, 24 de junho de 2011

PERGUNTAS. Rádio só vive de ler jornal?


João Teles escreve: "Paulo Oliveira irritou-se porque disseram que ele não faria o programa na Verdinha, sem um jornal na mão. E agora, Nonato? Os radialistas dependem tanto desse instrumento? As rádios têm produção e radiojornalismo ou isso é ficção?"

R.- Meu caro João, não acreditamos que uma emissora do porte da Verdes Mares se limite a leitura de jornais, muito embora reconheçamos que algumas rádios ainda vivem desse expediente.

O correto é você pesquisar uma informação de um meio impresso ou online, orientar a produção para aprofundar a notícia, pautando uma entrevista ou uma reportagem que possam acrescentar algo à informação impressa. Ler por ler jornal, isso é não é o recomendável.

Na Povo-CBN, por exemplo, nós temos um quadro "Bastidores da Notícia", onde a produção convida o autor de uma reportagem de O Povo para explicar o feitio da notícia, desde a sua pauta até a finalização, destacando as dificuldades que ele encontra para a produção da matéria.

Voltando a sua pergunta, o jornal deve servir de fonte, porque na realidade o essencial é que o veículo-rádio dê informações que obriguem o jornal a se pautar depois.

3 comentários:

Anônimo disse...

Pior do que isso é a conivência com o poder em função dos empregos que sua família tem nos órgãos da prefeitura além dos comentários sempre maldosos que são feitos em seu problema geralmente discrinando pobres, negros e homosexuais.
PROFDJACYR

José de Arimatéa dos Santos disse...

Sou fã ardoroso do rádio. Só que a interatividade é muito reduzida. Se é para elogiar o político dono da rádio ou o governo de plantão, tudo bem. O contraditório é quase inexistente.
É muito importante o répórter de rádio falando do buraco da rua e dos problemas nos bairros. É muito importante esse trabalho do rádio!

BLOG COREAUSIARÁ disse...

Sem contar que os telefonistas de muitas rádios funcionam como leões-de-chácara, para barrar os ouvintes e suas ideias, Triste isso!