terça-feira, 24 de agosto de 2010

Rádio. O veículo é subutilizado na campanha


Tertuliano Siqueira tem razão: o rádio é subutilizado pelos partidos políticos. Exemplo: o atual horário político. O Diário do NE, desta terça, conta que "as emissoras de rádio não podem utilizar o espaço não ocupado pelos partidos e ficam só anunciando a Lei Eleitoral". Sem falar dos partidos que, simplesmente, copiam o conteúdo da TV.



"Há uma semana no ar, o horário eleitoral gratuito do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) no rádio ainda não foi totalmente preenchido. Os partidos de esquerda, justamente os que mais reclamam da discriminação em relação ao tempo para divulgar suas propostas, ainda não mandaram seus programas.
Quem tem ligado o rádio, no horário da propaganda eleitoral tem sido obrigado a ouvir, entre uma coligação e outra, a mensagem "Horário reservado à propaganda eleitoral gratuita, Lei 9.504/97", embora não diga que o partido deixou de entregar o seu material.

O Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) não enviou até aqui as fitas para a emissora de rádio responsável pela veiculação.

[...] O Partido Comunista Brasileiro (PCB) alega a mesma dificuldade para explicar a sua ausência nos programas de rádio até aqui. 


FALANDO NISSO


Com tantos candidatos disputando uma brechinha pra dar um alô no programa eleitoral do rádio, por que Tomaz Figueiredo tem o 'privilégio' de ter duas emissões suas num mesmo programa? Pelo menos foi o que se ouviu hoje no horádio do PSDB.

Um comentário:

Anônimo disse...

Porque a negada ainda chama o horário eleitoral de gratuito? As emissoras de rádio e TV recebem de volta o dinheiro que deixam de faturar transmitindo-o através de incentivos fiscais. Portanto, vamos acabar com essa ladainha hipócrita: o contribuinte acaba pagando por esse horário que os meios de comunicação querem enfiar goela abaixo do povo que é gratuito.