sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Rádio. E se um dia ele deixasse de existir...


· Não teríamos outro veículo de comunicação tão próximo para nos ajudar.
· Não conseguiríamos informação tão rápida.
· Não conseguiríamos informação tão fácil.
· Não teríamos outro meio para comunicar com as comunidades mais distantes.
· Teríamos dificuldades para nos manter informados no caso de falta de luz.
· Teríamos problemas de deslocamento na falta de informações do trânsito.
· Não saberíamos o que vai acontecer na nossa novela.
· Teríamos que comprar um jornal para saber a previsão dos astros.
· Teríamos que consultar a internet para saber da previsão do tempo.
· Teríamos que ligar a TV para saber das promoções das lojas.
· Teríamos que ler um livro para exercitar nossa imaginação.
· Não conseguiríamos mandar um recado para um familiar que não tem telefone.
· Não teríamos como ajudar uma família que precisa de uma cesta básica.
· Seria mais difícil recuperar um documento perdido.
· Teríamos dificuldades para arranjar uma namorada sem poder fazer um oferecimento musical.
· Seria mais difícil arranjar emprego.
· Seria mais difícil trabalhar com silêncio.
· Seria complicado resolver pequenos problemas do dia-a-dia sem uma simpatia passada no rádio.
· Que graça teria um jogo de futebol sem a vibração do locutor esportivo?
· Ficaria mais difícil ganhar um CD.
· Como saberíamos dos lançamentos musicais?
· Como saberíamos que determinado cantor vem fazer show na minha cidade?
· Precisaríamos contratar um DJ para os encontros com amigos, um churrasco, o namoro no carro.
· Como receberíamos informações presos no trânsito?
· Quem nos informaria a hora certa?
· Quem nos informaria a temperatura da nossa cidade?
· Quem vai contar piadas para gente?
· Quem vai testar nosso conhecimento?
· Quem vai nos dar conselhos sentimentais?
· Quem vai fazer companhia para os enfermos, porteiros e motoristas?
· Quem vai fazer a gente sonhar?

Visto no Rádio Base

4 comentários:

ESCOLA AMBIENTAL APRENDIZES DA NATUREZA disse...

HÁ UM CONTRASENSO ENTRE O QUE SE LÊ SOBRE O RÁDIO E A FORMA COMO O MESMO VEM SENDO TRATADO. INFELIZMENTE VEJO CONIVÊNCIA DOS GRANDES RADIALISTAS QUE SE FECHAM PARA O SEU PROCESSO DE MELHORIA E ACABAM ENGOLINDO TUDO O QUE OS SUPOSTOS PROPRIETÁRIOS ACABAM FAZENDO COM O RÁDIO. MUITOS OUVINTES SÓ QUEREM FALAR NO RÁDIO E PRONTO, CADÊ O ASSOCIATIVISMO, CADÊ A UNIÃO. TODAS AS SEMANAS ESCREVO SOBRE O RÁDIO NO OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA , NINGUÉM DIVULGA O QUE ESCREVO, TEM MEDO DE SE INDISPOR COM OS DONOS DE RÁDIO. INFELIZMENTE ESSA CRISE DE VALORES ACABA DESTRUINDO O AMIGO RÁDIO. NÃO TEMOS PERSPECTIVAS APENAS TEMOS DE LAMENTAR...UMA
LÁSTIMA,....
PROFESSOR DJACYR

Nonato Albuquerque disse...

Caro Djacir,

eu sempre me atenho aos seus comentáros por serem efetuados dentro de uma lógica e de um raciocínio corretos. No entanto, quanto a exigir que alguém (blogueiro, no caso) publique seus pensamentos, eu acho que vc tenta diminuir a fama e sucesso do Observatório, que é um sítio de renome nacional. Então, seus pensamentos já são publicados num excelente espaço - que, inclusive, leio - mas quanto a compilá-los, isso vai da idiossincrasia de cada um.

Nonato Albuquerque disse...

Ah! outra coisa: escrever em CAIXA ALTA ficou convencionado no mundo todo que vc está gritando com o leitor.

Anônimo disse...

Com o Radio, tenho um relacionamento de amor e odio , que nao posso descrever aqui . mas a meu 'malgrado' sou de acordo com o professor e a Nonato Albuquerque digo que sua voz e a de Paulo oliveira, pesaram muito na minha decisao de deixar meu cearà pela 'zoropa' mas coisa superada um abraçao .