terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Observatório: "o rádio cearense já morreu?"


Que o rádio tem problemas, todo mundo sabe. Mas considerá-lo 'morto' eu acho exagero. Falo isso, em relação ao artigo do professor Francisco Djacyr Silva de Souza, publicado hoje no Observatório da Imprensa, onde ele considera mídia radiofônica no Ceará em estado terminal.

Há pontos do artigo que eu concordo, como da formação de profissionais num mercado saturado "e que só poderão desempenhar sua profissão se conseguirem publicidade para seus programas, que só irão ao ar através do arrendamento (salvo raras exceções)".

O articulista interpela "onde está o Sindicato dos Radialistas neste momento de crise? Ao lado dos patrões, não cobrando emprego para radialistas por eles formados nem exigindo o mínimo de condições de trabalho para seus sindicalizados, que têm de ter outra profissão para viver."

Leia TEXTO COMPLETO

8 comentários:

Paulo disse...

CONCORDO COM O PROFESSOR.O MERCADO RADIOFÔNICO ESTÁ LIMITADÍSSIMO,QUASE INEXISTENTE.PRINCIPALMENTE,O "AM".QUANTO AO DESEMPENHO DO SINDICATO DA CATEGORIA,TAMBÉM CONCORDO:VERGONHOSO.BASTA O EXEMPLO DO QUE OCORREU COM A RÁDIO DRAGÃO DO MAR.INFELIZMENTE, SALVAM-SE DUAS EMISSORAS "AM",EM FORTALEZA.EU DIRIA ATÉ, UMA E MEIA,JÁ QUE CONTINUO PREFERINDO SABER DO ENGARRAFAMENTO NA AVENIDA AGUANAMBI OU DES.MOREIRA, AO TRÂNSITO LENTO,QUASE PARADO,DA MARGINAL PINHEIROS OU MARGINAL TIETÊ.

Janio Alcantara disse...

Concordo com muita coisa que o articulista escreveu.

Vamos ver os estilos de rádio AM:
1. as "importadas" - CBN e Globo, onde as notícias e profissionais locais são bem reduzidos;
2. As religiosas: a shalonita Dragão do Mar, a iurd Record, a Deus é Amor 1300;
3. Restam a Cidade (bem arrendada a diversos), a Ceará Rádio Clube (que tb teria sido arrendada);
4. Fazendo um editorial próprio mesmo só a Verdinha 810, que tem "bala" prá gastar e se manter. Discordo da linha radiofônica do Paulo Oliveira, do João Inácio Jr. e da equipe esportiva do Gomes Farias - que são grosseiros e chulos até ao microfone.
Portanto, não resta quase nada.

Com toda redução fortalezense, ainda gosto da O Povo/CBN, além de ter excelentes jornalistas nacionais.
A solução é os grandes profissionais se reunirem e arrendarem uma só emissora AM e sustentar uma rádio só com anunciantes.

Já na FM, o nível é ruim também.

Anônimo disse...

Infelizmente o Professor Djacir está correto em suas observações.O Sindicato dos Radialista tem uma atuação de total inércia na defesa dos profissionais do radio.

batata disse...

Concordo com o professor Djacir.O rádio AM pede socorro.Que os radiodifusores façam alguma coisa,urgentemente.O sindicato também tem sua parcela de culpa.

Paulo disse...

RADIALISTAS SE "UNIREM" PARA A COMPRA DE UMA EMISSORA DE RÁDIO? kakakaka!!!!RADIALISTA SÓ SE UNE EM MESA DE BAR E,ASSIM MESMO,PARA FALAR MAL DOS COLEGAS!kakakakaka!!!PALAVRA DE RADIALISTA.

Anônimo disse...

Morreu faz uns 20 anos...

Janio Alcantara disse...

Paulo, é uma pena que radialistas só se unam em torno de uma mesa de bar.
Os bons radialistas teriam no arrendamento de uma rádio a chance de fazer a melhor rádio AM do Ceará e ganhar decentemente com os anunciantes.
Claro que seria preciso alguém que gerenciasse o empreendimento.
Mas vc vê outra forma de se fazer uma AM de qualidade?
Ou não estaríamos perdendo tempo só falando mal dos patrões empresários e do sindicato?
É preciso fazer algo. Que os bons se unam prá produzir... São meus votos!

Anônimo disse...

Faça uma enquete sobre a qualidade do rádio cearense e você verá como ele está